Notícias

Projeto de Lei prevê prisão para quem retirar camisinha sem consentimento

O Projeto de Lei, que tramita na Câmara dos Deputados, prevê até quatro anos de prisão que quem retirar camisinha sem consentimento durante a relação sexual

O Projeto de Lei 965/22, qual atualmente tramita na Câmara dos Deputados, prevê até quatro anos de prisão para quem retirar a camisinha, ou deixar de colocar, sem o consentimento da parceria.

O PL foi apresentado pelo deputado Delegado Marcelo Freitas (União-MG) que explica que a prática é denominada de stealthing em inglês.

“O autor desse tipo de ação induz a vítima a acreditar que está em um ato sexual seguro. Entretanto, de maneira escondida ou camuflada, retira o preservativo e dá continuidade ao ato, em desconformidade com a vontade da vítima”, afirma.

O deputado ainda comenta que, ainda que a relação tenha sido inicialmente consentida, a partir do momento em que o autor retira ou deixa de colocar o preservativo, sem o consentimento da outra pessoa, muda a situação de fato, passando a relação sexual a ser abusiva, por não contar com o consentimento da parceira ou do parceiro.

“Sem uma legislação específica tratando do tema, pessoas que, de fato, são abusadas sexualmente, continuarão sem o amparo que deveriam receber de nossa sociedade”, acrescenta.

Após a apresentação o texto, o PL será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e pelo Plenário.

NOTÍCIAS

Espanha pode se tornar o primeiro país na Europa a oferecer licença menstrual

Motrando os pelos nas axilas, filha de Madonna posa de lingerie e dá aula de amor próprio

Condutora que estava em alta velocidade viraliza por sua desculpa inusitada

⋅ ⋅ ⋅

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM