Notícias

Golpe da fruta: conheça mais sobre a prática feita no Mercadão de São Paulo que recebeu diversas denúncias

O Instagram já conta com vários relatos de pessoas que passaram pelo golpe

Você que já visitou o Mercado Municipal de São Paulo deve ter visto ou passado por uma situação dessas: os comerciantes te puxam para experimentar algumas frutas de graça, e do nada te dizem que a bandeja e a compra toda sai a um preço absurdo. Caso você recuse, muitos deles te maltratam, xingam e até ameaçam.

Isso vem sendo uma prática comum do local, onde os vendedores chegam a cobrar de R$100 a R$ 1200 por bandejas de frutas, e o caso foi para até no Instagram, onde um perfil reúne as mais diversas denúncias.

Uma pessoa anônima chegou a contar que foi lhe oferecido uma “fruta japonesa” que combinava laranja, tangerina e limão siciliano, pediu para embalar 3 em uma bandeja e acabou tendo que desembolsar R$ 350 reais por três laranjas comuns, se sentindo um trouxa quando reparou que caiu em um golpe.

A abordagem geralmente acontece na entrada do Mercadão, e o comportamento de maltrato não acontece só com quem não quer comprar mesmo depois da pressão dos vendedores, mas também para quem não aceita a degustação gratuita, sendo uma manipulação do começo ao fim, segundo uma cliente que gastou R$ 1000.

O lado do Mercado Municipal na história

Desde setembro de 2021, a concessionária que administra o Mercadão diz que está tomando providências contra essas questões, com reuniões rotineiras orientando e advertindo os vendedores, junto com advertências e multas. Depois da segunda multa, a empresa pode rescindir o contrato com o lojista.

⋅ ⋅ ⋅

Leia mais textos da NOVA MULHER

Ganhar dinheiro no Kwai é possível: entregamos 5 dicas aqui

Como os idosos se adaptam às finanças digitais?

Lição do BBB que vale para as finanças

Vazamento de dados do PIX: Saiba como se proteger

⋅ ⋅ ⋅

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

⋅ ⋅ ⋅

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM