Notícias

Mulher muda de nome e inicia sozinha investigação para encontrar quem matou sua filha

Após o assassinato de sua filha, ela decidiu mudar o nome e o trabalho para investigar quem cometeu o crime

Em 2014, Miriam Elizabeth Rodríguez Martínez encarou a dor de perder sua filha Karen, de 20 anos, após ela ser sequestrada e morta no México. Após o crime, Miriam decidiu iniciar uma investigação sozinha para encontrar os responsáveis pelo assassinato de sua filha.

Ela mudou de nome e iniciou um novo trabalho para funcionária pública. De acordo com o The New York Times, Miriam chegou a mudar de identidade várias vezes para que ninguém suspeitasse da sua investigação.

Ela «cortou o cabelo, pintou, posou de pesquisadora, profissional de saúde e autoridade eleitoral para obter nomes e endereços «.

“Ela inventou desculpas para se encontrar com suas famílias: avós e primos que, sem saber, lhe deram os mínimos detalhes”, informou o The New York Times.

+ NOTÍCIAS

  1. Emprego inusitado: Empresa oferece 1.300 dólares para quem assistir 13 filmes de terror em 10 dias
  2. Alanis Morissette revela ter sido vítima de estupro coletivo aos 15 anos
  3. Jessica Alves pode se tornar a primeira mulher trans a fazer transplante de útero
  4. Influenciadora é criticada por dar de presente de aniversário para a filha, de apenas 12 anos, uma rinoplastia

Miriam ainda revelou que mantinha os registrou em um caderno que guardava na pasta preta de seu laptop com o qual fazia a investigação e os rastreava, um por um».

A investigação ajudou a prender 10 suspeitos do assassinato de Karen entre 2014 a 2017. Um dos suspeitos era integrante do cartel Los Zetas.

Apesar do sucesso na investigação, Miriam foi assassinada em 2017 em frente à sua casa. O crime foi cometido por prisioneiros que haviam fugido de uma prisão, incluindo alguns homens envolvidos no crime de sua filha.

Duas pessoas acabaram sendo presas como suspeitas da morte de Mirim e um terceiro morreu em um tiroteio.

LEIA TAMBÉM

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM