Saúde e Bem-estar

Fique atenta! Isto é o que pode acontecer com o seu corpo quando você treina demais

É importante ter em mente que, ao exagerar no treino, você estará exposta a lesões

Mulheres malhando

Praticar exercícios físicos é maravilhoso para a saúde. Eles proporcionam diversos benefícios para a saúde mental e física, prevenindo o surgimento de doenças, auxiliando na perda de peso, aliviando o estresse acumulado do dia a dia, entre outras maravilhas.

No entanto, embora a prática de exercícios promova muitas coisas boas, é preciso ficar atenta para não exagerar. Isto porque, treinar demais, pode trazer consequências perigosas, já que uma das partes fundamentais do treinamento físico é o descanso. Por isso, é importante o acompanhamento de um profissional para saber equilibrar a rotina de exercícios e o tempo de recuperação.

Sendo assim, que tal descobrir algumas coisas que podem acontecer com o seu corpo quando você treina demais? Confira 7 delas a seguir, extraídas do portal Melhor Com Saúde:

1. Exaustão física

Um dos principais sinais de que você está exagerando nos treinos é a sensação de cansaço físico. Sem uma recuperação adequada ou sem energia o suficiente durante o treino, acontece uma resposta inadequada que se manifesta como fadiga, fraqueza e redução do desempenho atlético. Esta última, de acordo com um estudo publicado na Sports Health, se agrupa na ‘Síndrome de Overtraining (SSE)’, que é seguida também por alterações neurológicas, imunitárias e de humor.

2. Distúrbios hormonais

O exagero na rotina de treinos pode levar a uma produção excessiva de hormônios, como a epinefrina e o cortisol, ligados ao estresse. Como consequência, você prova a labilidade emocional, dificuldade de concentração, irritabilidade, estados depressivos e distúrbios do sono, por exemplo. Desta forma, segundo explicação de uma publicação na Sports Medicine, esta alteração hormonal provoca uma redução dos níveis de testosterona, relacionado a diminuição do desemprenho atlético.

3. Anemia

O overtraining físico, leva a uma baixa disponibilidade de energia e, além das alterações hormonais, isto ocasiona descontroles que atingem a saúde de diversas formas, como por exemplo, aumenta o risco de anemia por deficiência de ferro, conforme detalhado em um estudo compartilhado no British Journal of General Practice.

4. Baixa resposta imunológica

O treinamento físico em excesso causa uma degradação do sistema imune em atletas, forme afirmado em uma revisão na Acta Clinica Croatica. A exposição prolongada ao estresse do exercício reduz a resposta imunológica, aumentando o risco de infecções.

5. Aumento do estresse cardiovascular

Ao treinar demais, aumenta o estresse cardiovascular, que acontece até mesmo quando os exercícios vão de moderados a exigentes. Em particular, a frequência cardíaca cresce e é complicado restaurá-la no fim do treino, tornando-se necessário prolongar o tempo de descanso.

Outras consequências cardiovasculares podem surgir com o passar do tempo. Segundo um estudo compartilhado na Circulation, foi observado que, as mulheres que praticam exercícios físicos vigorosos no dia a dia, correm um risco maior de doenças cardíacas, derrame e coágulos sanguíneos.

Da mesma maneira, a revista Mayo Clinic Proceedings revelou um risco grande de calcificação das artérias coronárias, como resultado do estresse de altos níveis de exercício ao longo do tempo.

6. Redução do rendimento

Ainda que esta situação esteja ligada ao esgotamento físico, é importante enfatizá-la, dados os problemas que acarreta nos atletas. Enquanto alguns podem pensar que muito exercício melhora o desempenho, o oposto é verdadeiro.

O treino excessivo, sem nenhuma pausa e o período de recuperação correto, compromete o desempenho por até 2 a 3 meses, conforme detalhado em um estudo no Open Access Journal of Sports Medicine.

7. O risco de sofrer lesões aumenta

É importante ter em mente que, ao exagerar no treino, você estará exposta a lesões. O treinamento excessivo coloca uma grande demanda no sistema musculoesquelético, podendo levar a problemas pequenos ou graves.

· · ·

Leia também:

https://www.novamulher.com/estilo-de-vida/2023/01/24/7-alimentos-maravilhosos-que-podem-te-ajudar-a-combater-a-gordura-abdominal/

https://www.novamulher.com/estilo-de-vida/2023/01/23/se-voce-quer-perder-peso-evite-ingerir-estas-4-bebidas/

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM