Sexualidade

Pesquisa aponta que 95% dos brasileiros têm fetiches sexuais, mas só 4% já realizaram todos eles

Plataforma Gleeden ouviu 9.380 usuários em dezembro e traz dados curiosos sobre as fantasias sexuais

Pesquisa aponta: 95% dos brasileiros têm fetiches sexuais, mas só 4% já realizaram todos eles

Com a chegada de um novo ano, muitas pessoas fazem um balanço do que já foi conquistado e se propõem a enfrentar alguns desafios como forma de motivação. E isso vale também para o plano sexual, em que a realização de alguns fetiches e fantasias é colocada como meta.

A mais recente pesquisa do Gleeden -- plataforma número 1 de encontros extraconjugais e relações não monogâmicas do mundo -- revela que 95% dos entrevistados no país “têm algum tipo de fetiche”, enquanto 5% “preferem o sexo tradicional”. Outro dado, no entanto, aponta que somente 4% “já realizaram todas as suas fantasias sexuais”; 70% “realizaram apenas algumas delas”; e 26% “ainda não realizaram por não terem encontrado o parceiro ideal”.

Quando perguntados sobre os tipos de fetiche, os brasileiros demonstram preferência pelo “voyeurismo” (33%) e pelo “exibicionismo” (33%). Outros 21% dizem gostar da “podolatria”; 8% de “bondage”; e 4% do “sadomasoquismo”. Sobre a prática ménage à trois (sexo a três), 23% dizem “já ter participado, mas sem o(a) parceiro(a)”; 5% “já participaram com o(a) parceiro(a); 67% “nunca fizeram, mas têm curiosidade”; e 5% “não pretendem participar”.

Outra informação interessante obtida pela pesquisa é que a maioria dos entrevistados aceitaria ver o(a) parceiro(a) com outra pessoa: 36% “topariam, sem problemas”; 20% “topariam para experimentar”; e 44% “não topariam”. Quando perguntados se ficariam com outra pessoa enquanto o(a) parceiro(a) assiste, 60% dizem que “sim, ficariam”; 12% “fariam para experimentar”; e os outros 28% “não ficariam”.

A psicóloga clínica especialista em sexologia, Laia Cadens, afirma que muitos casais usam fetiches para sair da rotina e experimentar coisas novas. “Desde que sejam acordados pelo casal e não sejam extremos, os fetiches funcionam e são habituais, mais como um estímulo do que como uma ajuda no comportamento sexual”, pontua. “O problema dos fetiches e fantasias é quando eles se tornam patológicos: quando o fetiche sexual condiciona a pessoa, que só se excita com o seu uso. Nestes casos, deve-se encontrar uma solução”, finaliza.

*Pesquisa realizada pelo Gleeden de 20 a 28 de dezembro de 2022, com 9.380 usuários brasileiros.

· · ·

+ SEXUALIDADE:

Eu sou bissexual? 9 sinais de que você pode ser e perguntas comuns sobre ser bi

Como sua vida sexual pode afetar a saúde mental para melhor ou para pior

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM