Sexualidade

Como sua vida sexual pode afetar a saúde mental para melhor ou para pior

Um psiquiatra compartilha ideias interessantes que ligam esses dois aspectos da vida

Como sua vida sexual pode afetar a saúde mental para melhor ou para pior

Sexo e prazer estão gradativamente deixando de ser assuntos que antes eram apressadamente varridos para debaixo do tapete para se tornarem conversas comuns, pelo menos entre amigos. É uma mudança bem-vinda.

Para as mulheres, especialmente, a capacidade de se abrir sobre seus desejos sexuais ou direito ao prazer é libertador, para dizer o mínimo. Sexo é uma necessidade humana, assim como comida, água, ar, abrigo e segurança, mesmo que não sejam iguais. E assim, o estado da vida sexual de uma pessoa também pode afetar a saúde mental de maneiras positivas e negativas.

De acordo com o Dr. Aparna Ramakrishana, em entrevista ao site Health Shots, quando as necessidades essenciais dos seres humanos não são atendidas, isso pode prejudicar sua saúde física e mental. Portanto, uma vida sexual saudável também é um componente importante na criação de uma vida feliz e gratificante para muitos.

“Algumas pessoas podem escolher conscientemente a assexualidade ou o celibato para sua saúde física e psicológica. Mas para as pessoas que desejam intimidade sexual nos relacionamentos, uma vida sexual saudável e gratificante é um fator importante para o bem-estar psicológico”, diz o Dr. Ramakrishana.

O especialista em saúde mental acredita que os fundamentos de qualquer comportamento sexual saudável incluem honestidade e respeito – de si mesmo e dos outros. Contanto que ambos os parceiros tenham uma sensação de segurança e liberdade para escolher e se expressar, isso fortalece a intimidade e a alegria, promovendo assim o bem-estar psicológico.

O sexo aumenta os hormônios da felicidade

A sensação de alegria após uma sessão de sexo quente é a prova de que a atividade sexual desencadeia a liberação de substâncias químicas que melhoram o humor, como dopamina, oxitocina, endorfinas e serotonina. O Dr. Ramakrishana diz que a prolactina e a oxitocina liberadas durante a atividade sexual resultam em uma sensação de descanso e relaxamento, além de promover um bom sono. Portanto, a atividade sexual saudável atua como um destruidor de estresse, melhora o humor e diminui os níveis de ansiedade.

Uma vida sexual saudável promove autoconfiança

A falta de sexo em um relacionamento pode deixar a pessoa insegura e pouco confiante. É uma sensação nada lisonjeira. Por outro lado, “a sensação de intimidade com o parceiro e o sentimento de desejo melhoram a autoconfiança de muitos”, diz o especialista.

Efeitos negativos do comportamento sexual na saúde mental

Nem todo sexo ou atividade sexual é bom para a saúde mental. O comportamento sexual doentio pode muitas vezes ser explorador, desrespeitoso consigo mesmo e com os outros e não aprofunda a intimidade. Isso pode, de fato, ter um impacto significativo no bem-estar psicológico de um indivíduo.

Aparna Ramakrishana explica as várias maneiras pelas quais comportamentos sexuais como hipersexualidade, masturbação, consumo de pornografia e sexo casual podem afetar a saúde mental de uma pessoa.

Comportamento sexual compulsivo

Comportamento sexual compulsivo ou hipersexualidade ou dependência sexual é uma preocupação excessiva com fantasias, impulsos ou comportamentos sexuais que são difíceis de controlar, causam angústia ou danos a si e aos outros. Isso também pode afetar negativamente a saúde, o trabalho, os relacionamentos ou outras partes da vida.

Muitas vezes, pode envolver masturbação excessiva, sexo cibernético, envolvimento com múltiplos parceiros sexuais, uso de pornografia ou pagamento por sexo. As repercussões psicológicas incluem culpa, vergonha e baixa autoestima, sintomas depressivos e de ansiedade e propensão para outros comportamentos aditivos, como transtorno por uso de substâncias.

A masturbação afeta a saúde mental?

Você sabia que a masturbação tem benefícios para a saúde? Bem, ele desempenha um papel importante no desenvolvimento sexual saudável. É uma forma normal, natural e segura de explorar o corpo e sentir prazer. Reduz o estresse, melhora o humor, o sono e libera a tensão. No entanto, a masturbação compulsiva pode ter um impacto negativo no indivíduo, bem como em seus relacionamentos e funcionamento sócio-ocupacional.

Comportamento sexual de risco

O comportamento sexual de risco pode ser a relação sexual desprotegida, ter múltiplos parceiros sexuais ou relações sexuais com um parceiro de alto risco, bem como o envolvimento em atividades sexuais em uma idade muito jovem. Estes podem ter efeitos adversos significativos na saúde física e mental.

Sexo casual é saudável?

Sexo casual ou encontros são parte de uma mudança cultural na vida de jovens adultos em todo o mundo. Embora o sexo entre dois adultos informados consentidos possa ser considerado normal e saudável, ligações sexuais curtas podem ter consequências emocionais não intencionais a longo prazo.

Ainda existem diferenças de gênero na aceitação do sexo casual, com as mulheres sendo menosprezadas pelo mesmo comportamento sexual que os homens. Sentimentos intensos de arrependimento e vergonha podem seguir o encontro casual junto com constrangimento e confusão.

Sim, pode haver efeitos colaterais do sexo casual também. Pode haver desconforto, ansiedade de desempenho (especialmente se a conexão fizer parte de uma configuração de pressão dos colegas) que pode levar a problemas futuros disfunção sexual. Estudos mostraram que jovens adultos e estudantes relataram níveis mais baixos de autoestima, satisfação com a vida, felicidade e níveis mais altos de sofrimento psicológico após o sexo casual. No entanto, as reações emocionais dependem da motivação do sexo casual.

Assistir pornografia é prejudicial?

Embora o uso de pornografia seja bastante comum entre ambos os sexos, a literatura relata alguns efeitos negativos, incluindo participação em comportamentos sexuais de risco e impacto negativo nos relacionamentos, além da expectativa e satisfação sexual. Com o aumento da disponibilidade e dos meios, a pornografia está atingindo uma parcela significativamente grande da sociedade, incluindo adolescentes que antes tinham acesso limitado.

Estudos demonstraram diminuição do bem-estar mental e funcionamento psicossocial inferior entre adolescentes e estudantes que relatam alto nível de comportamentos de dependência de pornografia na Internet. Comprometimento social, isolamento e solidão também foram relatados.

Também pode haver maior tolerância ou aceitação de comportamentos sexuais degradantes, agressivos ou violentos entre homens e mulheres. Estes podem ter consequências pessoais e sociais de longo alcance. O vício em pornografia também tem sido associado à depressão, ansiedade, estresse, problemas de sono e transtornos por uso de substâncias.

Como o sexting afeta a saúde mental?

Outro comportamento sexual que afeta a saúde mental é o sexting. Os estudos relativos ao impacto mostraram, na sua maioria, resultados mistos. No entanto, os desfechos psicológicos variam de acordo com a natureza consensual ou coercitiva do ato, idade e vitimização. Às vezes, o sexting pode ser associado a comportamentos sexuais de risco, cyberbullying, pornografia de vingança e violência em encontros online, especialmente entre adolescentes e jovens adultos. As repercussões psicológicas negativas do mesmo incluem aumento do risco de depressão, ideação suicida e ansiedade social, especialmente entre os adolescentes.

· · ·

+ SEXUALIDADE:

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM