Sexualidade

Qatar: forças de segurança prendem e abusam de pessoas LGBT dias antes da Copa do Mundo

Discriminação, maus-tratos em detenção, violações de privacidade, práticas de conversão foram identificadas pela Human Rights Watch

Qatar: forças de segurança prendem e abusam de pessoas LGBT dias antes da Copa do Mundo

As forças do Departamento de Segurança Preventiva do Qatar prenderam arbitrariamente pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) e as submeteram a maus-tratos na detenção, disse hoje a Human Rights Watch.

As pessoas LGBT entrevistadas disseram que seus maus-tratos ocorreram em setembro de 2022, quando o Catar se preparava para sediar a Copa do Mundo Masculina da FIFA 2022 em novembro e mesmo quando o governo estava sob intenso escrutínio por seu tratamento às pessoas LGBT.

A Human Rights Watch documentou seis casos de espancamentos graves e repetidos e cinco casos de assédio sexual sob custódia policial entre 2019 e 2022. As forças de segurança prenderam pessoas em locais públicos com base apenas em sua expressão de gênero e fizeram buscas ilegais em seus telefones. Como requisito para sua libertação, as forças de segurança exigiram que as mulheres transgêneros detidas participassem de sessões de terapia de conversão em um centro de “saúde comportamental” patrocinado pelo governo.

“Enquanto o Catar se prepara para sediar a Copa do Mundo, as forças de segurança detêm e abusam de pessoas LGBT simplesmente pelo que são, aparentemente confiantes de que os abusos das forças de segurança não serão denunciados e controlados”, disse Rasha Younes, pesquisadora de direitos LGBT da Human Rights Watch. “As autoridades do Catar precisam acabar com a impunidade da violência contra as pessoas LGBT. O mundo está assistindo.”

A Human Rights Watch entrevistou seis LGBT do Qatar, incluindo quatro mulheres trans, uma mulher bissexual e um homem gay. O doutor Nasser Mohamed, um ativista abertamente gay do Catar, ajudou a conectar a Human Rights Watch a cinco dos entrevistados.

Todos disseram que oficiais do Departamento de Segurança Preventiva os detiveram em uma prisão subterrânea em Al Dafneh, Doha, onde eles assediaram verbalmente e submeteram os detidos a abusos físicos, desde tapas a chutes e socos até sangrarem. Uma mulher disse que perdeu a consciência. Os agentes de segurança também infligiram abuso verbal, extraíram confissões forçadas e negaram aos detidos o acesso a aconselhamento jurídico, família e cuidados médicos. Todos os seis disseram que a polícia os forçou a assinar promessas indicando que “cessariam a atividade imoral”.

Todos foram detidos sem acusação, em um caso por dois meses em confinamento solitário, sem acesso a um advogado. Nenhum recebeu qualquer registro de ter sido detido. Esses atos podem constituir detenção arbitrária sob a lei internacional de direitos humanos.

Dua Lipa se pronuncia sobre apresentação na Copa

Depois de algumas especulações de que a cantora Dua Lipa se apresentaria no mundial, a artista que é britânica, mas de origem albanesa, se manifestou em seu Instagram dizendo que não participaria de qualquer performance no país.

“Está tendo muita especulação de que eu vou cantar na cerimônia de abertura da Copa no Qatar. Eu não vou me apresentar e não estou em nenhuma negociação para estar lá”, afirmou a cantora. “Vou torcer pela Inglaterra de longe e espero visitar o Qatar quando eles cumprirem todas as promessas relativas aos direitos humanos que eles fizeram quando ganharam o direito de sediar a Copa.”

A cantora pop, que é muito admirada na comunidade de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, aproveitou para criticar o país-sede da Copa e sua relação com os direitos humanos.

· · ·

+ SEXUALIDADE:

O que significa ser uma pessoa aegossexual?

Algumas mulheres relatam ter orgasmos na garganta. Especialistas explicam se isso é mesmo possível

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM