Sexualidade

Esses são os “erros” mais comuns cometidos por jovens na hora do sexo

Se você já chegou na casa dos 30, é provável que já tenha passado por essas situações

Esses são os “erros” mais comuns cometidos por jovens na hora do sexo

Cada pessoa experencia uma vida sexual diferente e, se você já chegou na casa dos 30 e tem uma sexualidade ativa, pode dizer que já passou por muitos momentos bons, como também por outros nem tão bons assim.

A boa notícia, é que daqui para frente, sua vida sexual certamente é melhor do que há alguns anos. Contudo, segundo alguns conselheiros sexuais, é bem possível que você ainda enfrente alguns obstáculos na cama.

Confira os 10 erros que comprometem a vida sexual em pessoas jovens, na casa dos “trinta e poucos”, segundo artigo original do Huffington Post:

Se acomodar ao “sexo preguiçoso”

“Todo mundo adota rotinas, então pode ser fácil cair nessa armadilha com sexo”. No sexo preguiçoso, os toques, beijos apaixonados e tudo isso que é importante para o orgasmo acaba sendo deixado de lado. A solução não é levar mais tempo no sexo, mas consiste em usar o tempo que você tem e buscar prazer com sabedoria. A dica é de Shannon Chavez, psicóloga e terapeuta sexual em Los Angeles (EUA).

Entrar em pânico quando você não sente desejo

“O desejo pode entrar e sair de um relacionamento sério, por isso é importante não entrar em pânico quando você não o sente.” Às vezes, praticar sexo regularmente pode ser suficiente para trazer de volta o desejo. A dica é de Stephen Snyder, terapeuta sexual em Nova York.

Não prestar atenção à vida sexual depois de ter um bebê

“Obviamente, bebês e crianças precisam de muita atenção, dia e noite, e geralmente deixam seus pais exaustos”. Se você e seu parceiro não tem relações sexuais há tempos e preferem dormir do que ter uma noite paixão, a solução pode ser ficar acordado e usar esse tempo para se conectar. “Pense que sua relação é seu primeiro filho e de o cuidado que ele precisa.” Dica da Laurel Steinberg, psicoterapeuta e professora associada de sexologia da Academia Americana de Sexólogos Clínicos.

Levar o sexo muito a sério

O sexo é uma parte importante da saúde e bem estar geral, mas você não tem que chegar ao ponto de perder a parte divertida e a brincadeira, se você não estiver se divertindo, as coisas podem ficar tensas. Mostre-se aberto a diferentes tipos de sexo e não seja tão perfeccionista, o único objetivo do sexo deve ser a diversão consensual que envolve dar e receber prazer. Dica da Shannon Chavez, novamente.

Não se concentrar no clitóris

Isso é fato: 97% das mulheres precisam de algum tipo de estimulação diretamente no clitóris para atingir o orgasmo. A melhor maneira de aprender ter orgasmos é explorar seu próprio corpo. Uma vez que você descobrir a sua própria capacidade de desfrutar do sexo, você será capaz de se comunicar com o seu parceiro.

Não há absolutamente nada de errado em que os parceiros tenham orgasmos em tempos diferentes. O parceiro pode ter um orgasmo primeiro, e então se concentrar no seu orgasmo através dos dedos, brinquedos ou sexo oral – tudo isso requer uma compreensão do clitóris. Dica da Angela Skurtu, terapeuta sexual.

Experimentar sexo doloroso

“Especialmente após o nascimento de um bebê, algumas mulheres experimentam dor durante o ato sexual”. Sexo com dor leva a menos desejo sexual, por isso, é importante encorajar as mulheres a irem a pelo menos uma sessão de fisioterapia para fortalecer o assoalho pélvico. “Se a dor persistir, um fisioterapeuta pode ajudá-la a tornar o sexo mais agradável e menos doloroso”. Dica de Skurtu.

Ter um caso em vez de discutir o que a monogamia significa para você

Muitas pessoas de 30 anos ou mais estão em relacionamentos onde o sexo não funciona mais, mas o relacionamento ainda é forte, eles podem ter tentado consertar sua vida sexual sem sair da monogamia, mas as coisas ainda não funcionam e então eles se deparam com a alternativa de deixar o relacionamento e explorar caminhos separados, ou deixar o sexo como um casal.

Algumas pessoas optam pela infidelidade porque há muitos aspectos da relação primária que eles valorizam e não querem perder.

Segundo o Ian Kerner, terapeuta sexual do The New York Times, nem todos podem ter um casamento aberto, é preciso ter um espírito pioneiro, mas isso é mais corajoso e sincero do que recorrer à infidelidade.

Não dar prioridade à privacidade, mesmo que isso signifique planejar sexo

Ao cumprir 30, tendemos a acumular um monte de compromissos, incluindo as responsabilidades de trabalho, família e uma maior pressão econômica. Assim, muitos casais sucumbem a essa pressão e acabam deixando cada vez menos tempo para o seu relacionamento.

Mas a vida sexual precisa de tempo, energia e atenção para crescer. Por mais irônico que possa parecer, quando o casal tem uma vida sexual melhor e romântico, também tem mais energia para atender a outros compromissos. Dica da Vanessa Marin, terapeuta sexual.

Não se masturbar

Sexo em casal e masturbação são duas atividades diferentes. Mesmo se você estiver ativo com um ou mais parceiros sexualmente, não significa que você deve parar de se masturbar. É uma ótima maneira de tomar consciência plena do seu corpo, que melhora o humor e pode ajudar com a insônia. Ela também fornece consciência sexual que você pode usar para orientar o seu parceiro na hora do prazer. Dica do Chávez, novamente.

Comparar sua vida sexual com a dos seus amigos

É muito comum que as pessoas que falam sobre sexo com seus amigos se queixem de não ter uma vida sexual à altura. A régua com a que as pessoas medem a quantidade de sexo em uma relação, deve ser baseada em você e seu parceiro, nada mais. Outra dica do Steinberg.

· · ·

+ SEXUALIDADE:

O poder da música no estímulo do prazer cerebral que se compara a comida e sexo

Conheça as consequências do consumo do álcool para a sua vida sexual

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM