Saúde e Bem-estar

Gravidez: 6 sinais do corpo que indicam que o parto está próximo

Vem entender os tipos de mudanças que ocorrem no corpo da gestante quando o momento do parto se aproxima

Mulher negra gravida com as mãos na barriga

Não é preciso estar grávida ou ter passado por uma gravidez para saber que, quando a bolsa estoura e as contrações têm início, é hora de correr para o hospital, pois o bebê está chegando. Mas existem outros sinais, mais sutis, que indicam que o o momento do parto está se aproximando.

Claro que os sintomas nem sempre são fáceis de serem interpretados e podem variar de gestante para gestante, mas fato é que, se na reta final da gravidez alguns dos itens da lista aparecerem por aí, pode ser que esteja chegando o momento de conhecer o bebê.

1. Aumento nas contrações de Braxton Hicks

No começo do terceiro trimestre, a mulher pode sentir um tipo de incômodo diferente, que são as chamadas contrações de Braxton Hicks ou “contrações de treinamento” e que estão geralmente relacionadas à movimentação do bebê.

“Diferente das de trabalho de parto, elas são mais esporádicas, não são dolorosas na maior parte das vezes e tem pouca duração – normalmente de 20 a 30 segundos”, explica em entrevista ao site bebe.com.br, a Dra. Ana Lúcia Beltrame, ginecologista e obstetra especialista em Reprodução Humana.

De acordo com ela, chegando perto do momento do parto estas contrações podem aumentar em número e intensidade até chegarem no “pródromo de trabalho de parto”, que seria um período que antecede o nascimento mas sem que haja modificação no colo do útero. 

2. Pressão na pelve

Você já deve ter ouvido alguém comentando que a barriga de tal pessoa “abaixou”. Apesar de ser uma observação subjetiva e que nem sempre vale para todas as mulheres, a verdade é que a barriga pode realmente diminuir alguns centímetros devido à movimentação do bebê, que começa a se insinuar na pelve e “encaixa” na bacia, como relata a Dra. Beatriz Barbosa, ginecologista obstetra com especialização em parto humanizado, também ao site.

Como consequência, o movimento pode ser sentido pela gestante na forma de uma pressão na região da pelve. “É fato que a gestante pode começar a sentir uma pressão na pelve, mostrando que o bebê pode estar entrando no estreito superior da pelve e pressionando o osso púbico”, esclarece Ana Lúcia.

3. Sensação de respirar com mais facilidade

Também relacionada à esta “descida” do bebê para a área pélvica, muitas mulheres podem sentir que estão respirando com mais facilidade em comparação aos meses anteriores da gravidez. “Várias pacientes relatam a sensação de uma ‘esvaziada’, especialmente na região próxima ao estômago”, conta 

4. Diminuição do movimento fetal

Se antes os chutes eram intensos, é possível que a mãe sinta neste finalzinho seu pequeno movimentando-se menos. A tendência, segundo Beatriz, está ligada à diminuição do volume de líquido amniótico na bolsa. “Isto ajuda a barriga a ‘murchar’ e também favorece a diminuição da movimentação fetal, dando a impressão de que ele se mexe menos”, completa.

5. Maior inchaço nas mãos e pernas

O inchaço está longe de ser algo sentido somente na reta final da gestação. No entanto, como pontua a Dra. Beatriz, ele pode aparecer nas últimas semanas de forma diferente e um pouco mais acentuada, especialmente nas mãos e pernas. “Por conta da compressão final decorrente do crescimento do bebê, os vasos sanguíneos são comprimidos e a circulação prejudicada, o que contribui para o inchaço”, comenta a especialista.

Ela ainda acrescenta algumas outras queixas levantadas pelas mães neste período que antecede o parto, como dor lombar mais intensa, maior fadiga e cansaço, maior dificuldade de dormir e sensação de batimentos cardíacos acelerados.

6. Aumento de secreção vaginal

É normal que a mulher sinta a vagina ficar mais úmida ao longo dos meses da gravidez. Porém, com o parto ainda mais próximo, esta sensação de umidade pode se intensificar ainda mais com a perda do chamado tampão mucoso.

“Há a saída de mais secreção vaginal, mucosa e normalmente acompanhada de um pouco de sangue. Isto significa que o colo do útero está sendo modificado, mas não necessariamente que a gestante está entrando em trabalho de parto”, afirma Beatriz.

Em alguns casos, é possível sim que a saída deste tampão indique o início do trabalho de parto, mas eles devem vir acompanhados de outros sinais (confira todos eles aqui) e vale sempre consultar o seu médico para saber que cuidados tomar e se já é hora de partir para o hospital.

· · ·

+ MATERNIDADE:

Recém-nascido para de respirar por 20 minutos, mas faz uma recuperação milagrosa, deixando os médicos perplexos

Você já ouviu falar em ‘swaddling’? A técnica de envolver bebês que causa polêmica entre especialistas

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM