Sexualidade

Identidades sexuais mudaram durante a pandemia de covid, revela estudo

O período de isolamento fez com que muitas pessoas reavaliassem seus desejos sexuais

Uma pesquisa realizada pelo aplicativo de encontros Bumble revelou que a pandemia de covid-19 mudou a maneira como lidamos e entendemos a nossa identidade sexual. O estudo analisou mais de 4.000 usuários nos EUA, Reino Unido, Irlanda, Austrália e Canadá, em agosto de 2020 (dados analisados pela BBC).

Os dados revelaram que 21% dos entrevistados afirmaram estar planejando “expressar sua sexualidade de forma diferente, em comparação com um ano atrás”. Já uma outra pesquisa feita também pelo aplicativo, demonstrou que 14% mudaram seus desejos sexuais durante a pandemia, optando, por exemplo, por relacionamentos do mesmo sexo, enquanto anteriormente só haviam tido relacionamentos com pessoas de outro gênero.

Leia mais: Pesquisa revela que ter um “tipo” pode atrapalhar as suas chances no amor

Mas os dados e análises não param por aí, e ainda outra pesquisa conduzida entre março e julho de 2020 com pessoas LBTGQIA+ pelo Laboratório de Relações Sociais, Comportamentos e Diversidade da Universidade Trent de Ontário, no Canadá, analisada pela BBC, demonstrou que 11% “sentiram que sua capacidade de sair da sua identidade mudou devido à covid-19″.

Destas, diversas pessoas relataram que essa mudança ocorreu porque, durante a pandemia, houve “tempo para poder descobrir minha identidade sexual”. E de acordo com a chefe do Laboratório de Relações Sociais, Comportamentos e Diversidade da Universidade Trent, Karen Blair, a pandemia e o isolamento se tornaram o cenário ideal para esses e outros questionamentos.

Leia mais: Essas 3 atitudes vão te ajudar a aumentar sua energia sexual

Segundo a especialista, “grande parte da nossa imprensa e cultura ainda envia a mensagem de que a maioria de nós será heterossexual e como a sexualidade existe em um espectro no qual “muitos, quando não a maioria, se enquadram em algum ponto intermediário não há muita motivação para as pessoas questionarem sua sexualidade se os “padrões normais” se encaixarem de forma suficiente”, explica.

Ainda segundo Blair, foi apenas quando tivemos tempo para olhar para nós mesmos e ‘pausar’ muitas atividades em nossas vidas, que conseguimos observar com mais cuidado para essas questões como desejo, identidade sexual, de gênero e estilo de vida.

⋅ ⋅ ⋅

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM