Estilo de Vida

Fato ou fake: Homens pensam mais em sexo do que mulheres?

Pesquisa verificou se homens pensam mais em sexo do que mulheres. Confira o resultado!

Existe a ideia dentro do consciente coletivo de que homens desejam e pensam mais em sexo do que as mulheres. No entanto, será que isso é fato ou fake? É o que uma pesquisa publicada em 2011 no “The Journal of Sex Research” decidiu analisar.

Os pesquisadores pediram para que homens e mulheres que relatassem a frequência de seus pensamentos sexuais. Com as respostas, eles identificaram que os homens dizem pensar cerca de oito vezes ao dia e as mulheres cerca de seis vezes ao dia – uma diferença muito pequena.

Pesquisa de campo

Após as perguntas, eles decidiram fazer a pesquisa de forma mais prática. Os pesquisadores pediram para que homens e mulheres carregassem contadores e clicassem no contador toda vez que pensassem em sexo.

Recomendados

O que foi possível concluir é que tanto homens quanto mulheres registraram pensamentos mais frequentes sobre sexo. Os homens clicaram em média 34 vezes por dia e mulheres clicando em média 19 vezes por dia.

+ SOBRE SEXO

  1. Truques preliminares que os especialistas em sexo recomendam para promover excitação
  2. Este é o “segredo” para melhorar o sexo, segundo estudo
  3. Pesquisa revela mito que envolve os homens na hora do sexo
  4. Homens ou mulheres dormem primeiro após o sexo? Estudo responde

“É importante ressaltar que quanto mais baixa a contagem das mulheres de pensamentos sexuais, as mulheres mais pontuadas em uma medida de desejabilidade social, indicando que as mulheres podem ser mais relutantes em admitir seus pensamentos sexuais, talvez devido a preocupações com os padrões sexuais duplos. Além disso, os pesquisadores não puderam descartar a possibilidade de que carregar os contadores de contas realmente fizesse homens e mulheres pensarem em sexo com mais frequência do que normalmente fariam”, explica Madeleine A. Fugère, professora de Psicologia Social na Eastern Connecticut State University, em artigo publicado no portal Psychology Today.

LEIA TAMBÉM

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM