Famosos

Em suas redes sociais, Kim Kardashian condena falas antissemitas do ex-marido, Kanye West; veja

Além da empresária, suas irmãs Khloe, Kendall e Kylie também demonstraram apoio à comunidade judaica

Kim Kardashian

Na última segunda-feira (24), a socialite e empresária Kim Kardashian, de 42 anos, resolveu quebrar o silêncio e se manifestar sobre os comentários considerados antissemitas feitos por seu ex-marido, o rapper Kanye West.

Tudo começou quando West foi duramente criticado após publicar em seu perfil oficial no Instagram, mensagens de teor antissemita, que faziam referência a teorias da conspiração sobre uma suposta influência da comunidade judaica.

Com a grande repercussão de suas falas e até ter sua conta no aplicativo bloqueada, na última quarta-feira (19), durante uma entrevista com Piers Morgan, o artista chegou a pedir desculpas por seus comentários.

Sem mencionar diretamente o nome do rapper, Kim Kardashian, através de suas redes sociais, compartilhou uma publicação que dizia: “Eu apoio os meus amigos judeus e a comunidade judaica”. Além de Kim, sua mãe Kris Jenner, e suas irmãs mais novas Khloe Kardasian, Kendall e Kylie Jenner, também publicaram o mesmo post em seus perfis.

Ainda em sua manifestação sobre o caso, Kim acrescentou em seu Twitter: “Discurso de ódio nunca é aceitável ou desculpável. Estou junto com a comunidade judaica e peço que a violência terrível e a retórica odiosa contra eles cheguem ao fim imediatamente” escreveu.

As consequências para Kanye West

Não é novidade que nas últimas semanas, Kanye West tem se envolvido em diversas polêmicas na mídia por causa de suas declarações. No entanto, além das duras críticas que vem recebendo do público, o rapper parece ter recebido uma consequência milionária por seus atos.

Após os comentários antissemitas do rapper, na última terça-feira (25), a empresa alemã, Adidas, anunciou o rompimento de sua parceria com Kanye. “A Adidas não tolera antissemitismo ou qualquer outra forma de discurso de ódio. Os comentários e ações recentes de Ye foram inaceitáveis, odiosos e perigosos, e violam os valores da empresa de diversidade e inclusão, respeito mutuo e justiça” declarou a empresa.

A marca alemã ainda declarou que o impacto negativo de curto prazo será de 250 milhões de euros (aproximadamente 1,3 bilhões de reais) no lucro líquido do ano de 2022, já que, neste período, é considerada alta sazonalidade.

· · ·

Leia também:

https://www.novamulher.com/entretenimento/2022/10/25/influenciadora-virginia-fonseca-e-acusada-na-web-de-plagiar-marca-de-kylie-jenner-entenda/

https://www.novamulher.com/entretenimento/2022/10/24/para-alegria-dos-fas-beyonce-confirma-turne-para-2023-e-leiloa-os-primeiros-ingressos/

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM