Notícias

Mulher faz cirurgia para retirar papada, mas acaba com uma “pele de galinha”

Ela diz que mal sai de casa depois do acontecimento

Mulher faz cirurgia para retirar papada, mas acaba com uma “pele de galinha”

As cirurgias plásticas e procedimentos estéticos podem ser incríveis, mas é preciso pensar bem nos prós e contras de realizar algo assim antes de ter que lidar com as consequências dos efeitos colaterais que isso pode ter no nosso corpo.

Leia também:

A barriga de uma mãe se mexe tanto que as pessoas acham que existe um alien lá

E esse foi o caso de Jayne Bowman, que queria tirar a papada que sobrou depois de perder peso, achando que um procedimento simples estético iria resolver, mas acontece que ela buscou algo que nem precisaria de uma cirurgia de fato, o que a deixou mais animada.

Então, a mulher de 59 anos que mora em Hampshire, Reino Unido, e não trabalha por conta de uma doença, acabou levando sua história para alertar outras pessoas que querem passar pelo mesmo procedimento, já que depois do procedimento ela quase não sai de casa por ficar com um pescoço de “galinha velha”.

Mulher faz cirurgia para retirar papada, mas acaba com uma “pele de galinha”

Jayne pagou 500 libras, o que dá em torno de 3000 reais na atual cotação, para fazer um procedimento de plasma de fibroblastos, que pode apertar nossa pele e tirar o excesso, mas no caso de Jayne trouxe várias cicatrizes vermelhas.

Jayne diz: “Gostaria de ainda ter meu pescoço caído - era melhor do que o que me resta. Este tratamento de beleza malfeito me deixou em agonia. Foi tão doloroso - queimou como o inferno. Eu disse à terapeuta que estava em agonia, mas ela não parecia incomodada. Ela disse que tinha que continuar ou não funcionaria.”

Ela ainda passou um creme para aliviar a queimação, mas várias partes do seu rosto, peito e pescoço ficaram com pontos marrons, então a clínica ofereceu uma terapia de luz e um microagulhamento para resolver, mas nada adiantou.

Para fazer sua cirurgia, Jayne buscou a Save Face, mas segundo pesquisas 79% dos profissionais não tinham seguro para realizar a cirurgia. “Estou com tanta raiva. Isso afetou minha vida de muitas maneiras. Eu só queria ter deixado meu queixo duplo em paz.” conta Jayne.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM