Notícias

Mães gastam cerca de 97 horas semanais em cuidados com filhos e casa, revela pesquisa

As mulheres ainda recebem a maior carga de trabalho, cumprindo, muitas vezes, uma jornada tripla de tarefas

Se as mães fossem convidadas a montar um anúncio de emprego para o trabalho que exercem sendo mães, após os resultados de uma pesquisa recente, ele poderia ser assim:

“Contratando! Trabalhe de casa! A posição requer uma forte capacidade de multitarefa. A candidata aprovada deverá ser capaz de planejar e preparar refeições nutritivas, mantendo montanhas de roupas limpas. Ela poderá fornecer sessões de tutoria, enfermagem, aconselhamento e terapia conforme a necessidade. Além disso, as candidatas devem estar disponíveis para várias atividades de planejamento de eventos, incluindo festas de aniversário. A posição envolve manter-se atualizada sobre todas as práticas recomendadas de desenvolvimento infantil, incluindo, mas não se limitando a birras e constrangimento adolescente. Dormir e comer não é garantido para os funcionários. A requerente deve ter uma carteira de motorista válida ou organizar transporte confiável. Espere trabalhar uma média de 97 horas por semana durante 52 semanas por ano. Salário: R$ 0. Benefícios adicionais: inestimáveis.”

Apesar de toda a brincadeira, a maternidade envolve, sim, uma lista de responsabilidades que pode até ser mais extensa do que a listada acima.

De acordo com uma pesquisa feita com 2.000 mães que criam filhos em idade escolar (de 5 a 18 anos), as mães gastam quase 100 horas por semana em tarefas parentais – mesmo que isso signifique sacrificar o sono e o “tempo para si”.

A pesquisa, encomendada pela marca de sopas Campbell’s, nos Estados Unidos, encontrou nada menos que 15 atividades diferentes que uma mãe desenvolve no dia a dia, de chef de cozinha a consultora financeira. Não é de admirar que o trabalho vá muito além, se comparado com uma semana de trabalho de 40 horas.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Mãe protesta na internet que filhos deveriam levar sobrenome materno ao invés de paterno

· · ·

Onde as mães arranjam tempo extra para esse trabalho enorme? Mais da metade das entrevistadas (53%) relataram deixar de dormir para cuidar dos filhos, enquanto 47% desistem regularmente de noites de encontros, hobbies e tempo com amigos.

Apesar das exigências do trabalho, a pesquisa descobriu que as mães geralmente se concentram nas necessidades de seus filhos mais do que nas suas próprias. Cerca de 3 em cada 5 entrevistados (62%) dizem que costumam comer correndo, 53% admitem que lutam para comer alimentos nutritivos por causa das demandas de sua agenda.

“É incrível quantos empregos as mães fazem em suas vidas cotidianas, então não é surpresa que sua nutrição pessoal não seja sua principal prioridade”, diz Diego Palmieri, diretor de marketing de refeições e bebidas da Campbell’s, em um comunicado. “Ter tempo para comer alimentos nutritivos é algo que todos sabemos que é importante, mas para pais em movimento – mães em particular – pode parecer impossível.”

Embora as mães tendam a ignorar suas próprias necessidades, a pesquisa descobriu que elas ainda garantem que as crianças estejam comendo alimentos saudáveis. As próprias mães comem refeições equilibradas apenas 39% do tempo, em comparação com 52% do tempo para seus filhos.

As mães também só conseguem comer três refeições por dia em 44% das vezes; para crianças, é de 68%. E essas mulheres admitem consumir o número diário recomendado de frutas e vegetais 34% das vezes, enquanto garantem que seus filhos atinjam essa meta em 42% das vezes.

Para onde o tempo vai?

Em um dia típico, as mães dizem que passam 46 minutos preparando as refeições para os filhos, 44 minutos lavando a roupa e 29 minutos criando obras de arte e desenhos com as crianças. Acrescente a isso o tempo gasto como motorista, arrumar a casa, ajuda com a lição de casa e até terapeuta, e não demora muito para acumular muito mais horas do que um emprego em tempo integral.

Os pesquisadores descobriram que esse trabalho poderia pagar um belo salário, se as mães fossem pagas por seu trabalho com a maternidade. E isso, sem contar o fato de que 70% das mães pesquisadas ainda trabalham em tempo integral ou parcial.

Após a quantidade imensurável de abnegação demonstrada pela mãe típica, a pesquisa descobriu que ela ficou com menos de uma hora por dia para ela. Para 88% das mães pesquisadas, esse tempo geralmente é roubado de horas de sono, seja acordar cedo, ficar acordada até tarde ou ambos.

“Com a quantidade de tempo que as mães passam cuidando de seus filhos, não é surpresa que elas estejam perdendo tempo para si mesmas”, diz Palmieri.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM