Notícias

Mãe protesta na internet que filhos deveriam levar sobrenome materno ao invés de paterno

A mãe recorreu às redes sociais para questionar o processo, mas foi contestada por algumas pessoas

Se um casal não casado tem filhos juntos, eles devem usar o sobrenome da mãe ou do pai? É uma pergunta que muitas pessoas enfrentam quando descobrem que estão esperando um bebê, e isso depende de circunstâncias individuais.

Mas uma mulher recorreu a uma rede social de exclusiva para mães, o Mumsnet, para protestar que, em todas as circunstâncias, a criança deveria ter o nome da mãe porquê elas passam por mais dificuldade durante a gravidez.

Ela escreveu: “99% do fardo da reprodução recai sobre as mulheres. Toda a dor e desconforto que vêm com a gravidez e o parto são apenas para a mulher. Nenhum homem tem que sofrer fisicamente de forma alguma para que uma criança nasça. Tudo o que ele tem que fazer é ter um orgasmo. Portanto, acho que a honra de transmitir um nome de família deve pertencer apenas às mulheres. O que você acha?”

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Veja 5 mudanças na lei trabalhistas que beneficiaram as mães no mercado de trabalho

· · ·

A questão se mostrou muito polêmica, abrindo um grande debate sobre os sobrenomes e sua importância.

Uma seguidora escreveu: “Sempre pensei nisso. Nunca entendi por que a maioria parece fazer o contrário.”

“Concordo! Por que as mães solteiras dão aos filhos apenas o nome do parceiro?!”, escreveu outra.

Alguém refletiu: “Acho que os pais devem decidir entre eles qual nome seu filho deve ter. E todo mundo deveria saber que os nomes dos filhos de outras pessoas não têm nada a ver com eles.”

“Meus filhos têm meu nome. Eu também tenho o mesmo nome do meu marido. Se eu não fizesse isso, meus filhos teriam meu nome e não o dele”, concordou outra.

Uma mulher disse que era o sexismo cotidiano que paramos de perceber.

Ela escreveu: “Sim! Concordo com você. É o sexismo cotidiano que todos deixamos de perceber. Meu marido estava ansioso para que seu nome fosse usado (ele geralmente não é um cara tão conservador) e eu aceitei. Agora, se um dos meus filhos fizer uma descoberta científica, não será meu nome nos livros de história. As mulheres estão preocupadas com o fato de estarem ‘trabalhando por nada’, mas é um grande problema se pararmos para pensar sobre isso. Eu não penso muito sobre isso, mas sou honesta o suficiente para admitir que nossa decisão foi sexista”.

Uma discordou e escreveu: “O que isso tem a ver com vocês dois se tornando pais? Eu sofri mais do que você e você não, então você não recebe o nome?! Eu vejo isso como se tornar pai e começar uma família e todos vocês terem o mesmo nome. Se isso significa assumir a maneira tradicional de usar o nome do pai, tudo bem para mim. Se você não quer levar o nome dele, isso também é justo. Ninguém está “errado”. A dor não tem nada a ver com isso!”

Alguém realmente encerrou todo o debate, escrevendo: “O que os pais fazem interessa apenas a eles. Façam o que quiser, quem se importa?”

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM