logo
/ Crédito:  CLAUDIA/Divulgação
Notícias 24/03/2021

Usuária do Twitter conta como salvou uma mulher de violência doméstica após a vítima mostrar um x não mão

Mostrar um x não mão é uma das técnicas para pedir socorro quando uma mulher está sendo vítima violência doméstica

Por : Da redação

Thaís Vianna, conhecida como @viannacom2n1, no Twitter, viralizou na rede após contar como salvou uma mulher de violência doméstica após a vítima mostrar um “X” não mão.

Ela conta que estava no trânsito quando passou um carro com uma mulher que mostrou um X na palma da mão. Ao perceber o pedido de ajuda, ela procurou uma viatura e comentou a situação.

No entanto, os policiais fizeram muitas perguntas, mas só quando chegou uma policial feminina, o caso começou a ser resolvido.

“Foi a primeira a me pedir as características do carro. 4 policiais da viatura anterior, homens, acharam duvidoso que fosse um pedido de socorro o X na palma da mão de uma mulher. Apenas uma mulher, que com certeza já se sentiu vulnerável e compreende esse sentimento, é que tomou providências”, explicou a usuário do Twitter.

Thais não explica como a polícia chegou até a vítima, mas relatou que descobriram que ela em home office desde o início da pandemia. “É casada desde o início de 2019. Namorou por 4 anos antes de casar. Em setembro do ano passado o marido iniciou em home office junto com ela e desde então ela não teve um minuto de paz”, comenta.

A usuária também relata que a vítima foi “agredida, foi xingada, foi torturada, foi ameaçada, foi machucada. São feridas externas mas muitas são internas. Larissa tem silicone e o marido com ciúmes de uma foto no Instagram queimou a lateral do seu seio até o decote e disse “quero ver foto de decote agora””.

Ela ainda comenta que a vítima agora está segura. “Larissa hoje se libertou e voltará para um lar de verdade, na casa da sua família.  Concursada, nova, bonita, independente e amada por toda a família, ela não conseguia sair dessa relação. Gritar socorro. Dar um basta. Separar. Se libertar”.

LEIA TABMÉM