Saúde e Bem-estar

Quer diminuir a ansiedade? Siga essas 5 dicas de uma psicóloga

Estima-se que cerca de 18 milhões de brasileiros sofram com ansiedade; veja como aliviar os sintomas

Quer diminuir a ansiedade? Siga essas 5 dicas de uma psicóloga

A ansiedade é uma questão séria dentro da saúde mental e que atinge cerca de 18,6 milhões de brasileiros, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), o que coloca o país no topo do ranking mundial.

Muitos fatores podem levar as pessoas a desenvolver sintomas de ansiedade e, nos tempos em que vivemos hoje, é quase impossível viver sem a condição. Mas é possível viver com o distúrbio, segundo a doutora em psicologia e psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, Blenda de Oliveira.

Em uma entrevista ao site Saúde em Dia, a psicóloga destaca 5 práticas simples que podem reduzir ou até mesmo eliminar os sintomas da ansiedade. Confira:

1 – Respiração alongada

Geralmente a ansiedade é acompanhada por uma respiração ofegante. A psicóloga explica que uma respiração alongada pode aliviar esse sintoma, além de ajudar a acalmar a mente. “O ideal é inspirar e expirar calmamente e pausadamente pelo menos três vezes seguidas. O cérebro precisa de oxigênio e esse exercício ajuda na concentração. É uma técnica que não tem contraindicação”, afirma.

2 – Faça pequenas pausas na rotina

Em meio a rotinas corridas, fazer uma pausa é imprescindível para o distúrbio não fugir de controle. “Reservar alguns minutos em várias partes do dia para você respirar calmamente e tomar um chá, fazer algo que gosta por alguns minutos, pode ajudar e muito você a não alimentar o ciclo da ansiedade. Ter tempo para relaxar, ler um livro ou ouvir música são exercícios diários essenciais para a saúde mental”, destaca Blenda.

3 – Fique um tempo desconectado

Você pode nem imaginar, mas ficar conectado o tempo todo pode ser prejudicial à saúde, alerta a profissional. Ela reforça a importância de separar algumas horas do dia para deixar o celular de lado e focar em outras tarefas que promovem o autocuidado.

“As redes sociais impõem um ideal. Você vê ali pessoas e fotos incríveis, se compara com aquilo e não considera sua própria realidade e nem sabe o que acontece nos bastidores da vida daquelas pessoas que aparentam felicidade na rede. Cuidado com isso, tenha mais tempo para o real”, adverte.

4 – Organize sua rotina

De acordo com Blenda, organizar as tarefas e ter uma agenda semanal equilibrada pode aliviar a ansiedade. Além disso, essa atividade evita deixar todas as informações e compromissos na cabeça, e proporciona uma visão mais clara de como vai ser sua semana ou mês, permitindo elencar melhor suas prioridades.

“É importante saber o que é urgente, o que pode e deve ser feito ali no momento. Porém, é preciso também enxergar a médio e longo prazo. O mundo está imediatista e a ansiedade também está associada a isso”, comenta a especialista.

5 – Pratique atividade física

Praticar atividade física proporciona incríveis benefícios para a saúde. Um dos principais ganhos é a liberação de substâncias importantes para o bem-estar, como a endorfina, por exemplo. “Esse é um recurso que deve ser avaliado de acordo com as condições pessoais de cada um, mas são indispensáveis para aliviar os sintomas da ansiedade”, reforça a psicanalista.

Bônus: faça acompanhamento psicológico

Independentemente das técnicas, Blenda lembra que é fundamental o acompanhamento psicológico para tratar a ansiedade. Isso porque só o especialista poderá encontrar caminhos alternativos e eficientes para que a pessoa lide melhor com o distúrbio, promovendo mais qualidade de vida.

A doutora em psicologia também reforça que a ansiedade faz parte do nosso cotidiano, uma vez que acompanhar as transformações rápidas pelas quais o mundo está passando é desafiador para todos. A boa notícia, segundo a especialista, é que a ansiedade não é sempre algo ruim, já ela também está presente em bons momentos da vida.

· · ·

+ SAÚDE E BEM-ESTAR:

O ‘burnout’ do autocuidado: quando o bem-estar se torna (também) uma competição

Em novo relatório, OMS aponta impacto da falta de exercícios físicos para a saúde

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM