Estilo de Vida

Rega de plantas: como, quando e quais ferramentas usar para elas durarem mais

Entender o ciclo de rega das plantas é importante para mantê-las sempre bonitas

Mulher regando plantas

Regar as plantas é uma tarefa muito importante para manter a saúde das suas plantinhas em casa ou no jardim. Mas é importante também entender o ciclo de rega de cada uma delas, para manter a hidratação ideal.

E para melhor atender as necessidades de cada espécie ou momento do planta, existe uma ferramenta que vai se adequar melhor, como por exemplo, borrifadores de água ou mangueira/regador.

Saber quanto regar, as melhores maneiras de fazê-lo, com que frequência e até mesmo a melhor hora do dia são fatores chave para fazer o trabalho de forma eficaz.

Além disso, o tempo seco e a crise hídrica são fatores que também devem ser observados na hora de cuidar do seu jardim. É importante economizar água nesses momentos e recorrer a meios mais ecológicos.

Neste post, temos tudo sobre como molhar suas plantas ao ar livre, bem como dicas de especialistas para mantê-las saudáveis.

Ferramentas

Usar um regador é - sem surpresa - uma ótima abordagem para regar plantas.

Facilita o direcionamento da água para as raízes, onde é necessário. Regue as bases do caule, certificando-se de mover o regador para que todos os pontos sejam nutridos adequadamente, aconselha os especialistas da Haws, fornecedores de regadores artesanais.

“O fornecimento de água para um local pode prejudicar o crescimento de outros sistemas radiculares, pois eles são incapazes de absorver os nutrientes do solo.”

Aconselha-se também evitar molhar as folhas. “Folhagem molhada ou úmida irá encorajar problemas de fungos e evaporação das superfícies.”

Procurando alternativas para um regador? Você pode usar uma mangueira de imersão. Com estes, a água pode infiltrar-se ao longo do comprimento da mangueira graças às suas camadas porosas para que chegue às raízes.

Ou experimente um sistema de irrigação por gotejamento de escala adequada ao seu terreno, enquanto os aspersores podem ser úteis para gramados. Para coleções de vasos, você também pode considerar recipientes auto irrigáveis , que permitem que as raízes das plantas extraiam água de um reservatório.

Se você tiver uma grande quantidade de rega para fazer, você pode optar por uma mangueira de jardim. Certifique-se de ter um acessório de spray no final — uma versão aerada reduzirá o uso de água. Certifique-se de direcionar a água para a base das hastes.

Frequência de rega

Infelizmente, não existem regras universais sobre a frequência com que regar as plantas. Cada uma tem necessidades diferentes, e o tipo de solo e o clima também tem influência nesta questão.

O fato de que você terá que regar mais quando estiver quente e ensolarado provavelmente não o surpreenderá — no auge do verão, a maioria das plantas se beneficiará de uma rega diária.

Tenha em mente que tempo de ventanias também significa que as plantas precisam de mais água. E, mesmo que chova, preste atenção em quão boa é a chuva. Se estamos falando de chuvas leves, elas não farão muito pelas raízes de suas plantas.

Em termos de solo, aqueles que são arenosos e leves tendem a precisar de doses de água mais frequentes, porém mais leves, do que solos argilosos e pesados.

Novas plantas também requerem mais água, assim como plantas maiores com mais folhas. Se você está cuidando de canteiros, também precisará dar a eles bastante H₂O.

Rega em vasos

Se você deu vida a um jardim de vasos, eles precisarão de atenção extra do seu regador.

“O solo em recipientes geralmente seca muito mais rápido do que em canteiros de flores, então você pode precisar regá-los com mais frequência”, dizem os especialistas da Haws. “Geralmente, quanto menor o recipiente, mais frequentemente ele precisará ser regado, então as plantas têm uma fonte constante de nutrição que as ajudará a crescer.”

Em termos de quanto regar suas plantas, o RHS sugere adicionar 10% do volume do recipiente a cada rega - por exemplo, 1 litro de água para um vaso de 10 litros. Coloque um pires embaixo da para coletar qualquer excesso e deixe-o ser reabsorvido.

É importante não exagerar - o solo encharcado é prejudicial para a saúde de muitas plantas. Também é importante escolher vasos com orifícios de drenagem para que não fiquem saturados demais durante as chuvas.

Quando regar

É mais provável que você precise regar o jardim do final da primavera ao início do outono, quando o clima está mais quente, mas não descarte a possibilidade de começar a partir do meio da primavera. Você pode ter que fazer isso em outras épocas do ano também, dependendo das condições climáticas onde você mora.

Para verificar se seus jardins precisam ser regados, “olhe para o solo até o fundo com uma pá”, dizem os especialistas da Hozelock. “Só regue se estiver seco - se já estiver úmido, não há necessidade.”

A hora do dia para regar é uma questão mais simples. “Água no início ou no final do dia quando o sol não está tão quente”, diz Hozelock.

Os especialistas da Haws recomendam particularmente regar as plantas no início do dia, “já que o solo ainda estará frio, dando à água a melhor chance de viajar até a raiz antes que o sol a evapore.”

“Regar de manhã cedo também significa que suas plantas terão água suficiente para durar o dia todo, especialmente durante o clima quente, mesmo que o topo do solo esteja seco ao toque”, acrescentam.

Se você não costuma ter tempo de manhã ou à noite para cuidar das tarefas do jardim, pode investir em um cronômetro eletrônico de água, conectado ao seu sistema de irrigação. Estes vão sentir quando o sol nasce e se põe e regar de acordo: eles são perfeitos se você estiver procurando por soluções de jardim de baixa manutenção.

A melhor água para plantas

Reduzir o uso de água da rede para o jardim é importante em uma era de crises climáticas e, se a conta de água estiver apertada, é uma maneira cara de manter as plantas crescendo de qualquer maneira.

Se você usar água da torneira, tenha em mente que desmineralizada não é aconselhável, então pegue a água para o seu jardim diretamente da rede em vez de fornecer às plantas a água que passou pela unidade de tratamento de água.

O melhor recurso a ser usado para suas tarefas de irrigação é a água da chuva. Pegue um balde de água — ou mais de um. Se tiver calhas, você pode coletar água através do escoamento. Quer dar um passo adiante para um jardim mais sustentável? Você também pode reutilizar a água da limpeza de legumes e saladas antes de cozinhar.

Se houver falta de água, utilize água cinza: é a água do chuveiro, da banheira, dos lavatórios e dos ciclos de enxágue da máquina de lavar. Sabões e detergentes não devem causar problemas às plantas, apenas evite usar água cinza para hortas de alimentos.

Além disso, a água cinza deve sempre ser usada rapidamente e não armazenada, pois as bactérias nela se multiplicam rapidamente. Já água contendo alvejante, produtos de limpeza fortes de vasos sanitários — a chamada água escura — é sempre um não-não.

“Que tal usar água da piscina?”, você pode se perguntar. Se for uma pequena piscina que você encheu recentemente, tudo bem, mas, em geral, não recomendamos o uso de água da piscina no jardim por causa dos produtos de limpeza aplicados para mantê-la limpa.

E o que fazer com gramados?

Cuidados devem ser tomados para garantir que os gramados sejam mantidos hidratados durante o clima quente do verão.

A dica da The Grass People para o verão é regar a grama uma vez por semana se não chover. Um aspersor de jardim é a ferramenta perfeita para isso.

Mas tome cuidado para não inundar a grama o que pode danifica-lo. “No calor extremo do verão, um bom guia é 20 litros de água por semana para cada metro quadrado de gramado”, aconselham. “Você pode ver que seu gramado precisa de um pouco de água extra se a grama começar a ficar amarela ou marrom.”

Em longos períodos de seca, o solo do seu gramado pode ficar duro e seco, dificultando a penetração da água. Nesse caso, “é importante arejar com um aerador de plugue ou um aerador de espiga, que cria buracos no solo permitindo que a água e o oxigênio sejam filtrados”, eles recomendam.

Dicas para plantas de interior

Quando se trata das melhores plantas de interior, regar é, obviamente, uma tarefa para todo o ano. Tal como acontece com as plantas de jardim, as plantas de interior individuais têm requisitos diferentes, por isso adapte a sua rotina às espécies.

Geralmente, regar demais é um perigo então deixe o composto secar um pouco antes de regar. Regue até que a terra fique úmida, deixando a água escorrer para um pires ou pia.

No inverno, a maioria das plantas de casa precisa de menos água do que nas outras estações do ano, portanto, reduza o cronograma de rega de acordo.

É uma boa ideia deixar a água atingir a temperatura ambiente antes de usá-la em suas plantas de casa. Usar a água da chuva é uma ideia ainda melhor e, como no jardim, se for água da torneira que você está colocando nas plantas, evite água descalcificada.

Borrifar ou não borrifar?

Muitas plantas de interior são originárias de regiões tropicais, onde a umidade é alta. No entanto, o ar em nossas casas, especialmente quando você considera o aquecimento central e o ar-condicionado, tende a ser bastante seco.

Nebulizar as folhas e o solo de sua planta a cada dois dias é uma ótima maneira de contornar isso, pois oferece às plantas de casa um ambiente de crescimento mais adequado. Além disso, ajuda a reduzir o risco de excesso de água.

Samambaias, orquídeas e begônias são apenas algumas das muitas variedades que se beneficiarão da nebulização, assim como todas as plantas ideais para banheiros e cozinhas que prosperam em condições úmidas. Evite, no entanto, borrifar suas suculentas e cactos, que preferem o ar mais seco — isso pode levar à podridão.

Sinais de falta de rega

Quer saber quais sinais observar para verificar se você está regando as plantas o suficiente? Estas características são importantes:

  • As folhas estão secas, caídas e enroladas.
  • O solo abaixo parece seco ao usar o teste de toque. Para fazer isso, empurre o dedo para baixo no composto ou no solo até pelo menos a profundidade dos dedos para ver se está úmido.
  • A planta está murchando ou não está mais em pé.
  • As velocidades de crescimento reduziram mais do que o esperado, ou talvez menos frutas e flores estejam sendo produzidas.
  • Seus recipientes parecem mais leves.

Dicas adicionais

Procurando por conselhos mais úteis para regar plantas? Experimente estas dicas da Hozelock:

Coloque uma planta em vaso sob suas cestas suspensas ao regá-las. Dessa forma, o vaso pode absorver o excesso de água que cai da cesta.

Tente remover o máximo de ervas daninhas que puder de seus jardins, pois elas sugam a água do solo (e das suas plantas).

Cobrir com uma camada de composto caseiro ou esterco bem apodrecido ao redor de suas plantas as ajudará a reter a umidade. E como bônus, também suprimirá as ervas daninhas.

Cuidado com sistemas de irrigação com vazamento. Conectores pingando ou vazando de uma torneira para sua ferramenta de irrigação podem desperdiçar muita água ao longo do tempo. Se o conector parece estar vazando, os anéis de vedação em sua ferramenta de irrigação podem ter perecido ou danificado. Substitui-los pode corrigir esse problema rapidamente e é simples de fazer.

Se você não tem muito tempo para regar, ou simplesmente quer usar menos água em seu terreno, há muitas plantas tolerantes à seca que são simplesmente lindas e funcionam bem em esquemas de pradaria ou mediterrâneos.

· · ·

+ DICAS PARA CUIDAR DAS SUAS PLANTAS:

Plantas: 10 plantas que são super fáceis de cuidar e que vão durar muito tempo na sua casa

Plantas: como cuidar de orquídeas para que elas durem mais

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM