Comportamento e Relacionamento

Quem são as pessoas que passam mais tempo sozinhas?

Agora sabemos bastante sobre como os adultos têm usado o seu tempo

Graças à Pesquisa Anual de Uso do Tempo dos Estados Unidos, sabemos bastante sobre como os adultos têm usado o seu tempo. “É uma excelente pesquisa, baseada em uma amostra representativa nacionalmente”, afirma a autora Bella de Paulo. “Os participantes são questionados, detalhadamente, como passaram um período de 24 horas da sua vida”. As descobertas respondem a uma pergunta fundamental: quem passa mais tempo sozinho? Saiba mais sobre esse comportamento.

1. Idosos

A primeira resposta à questão de quem passa mais tempo sozinho é que os idosos passam mais tempo sozinhos do que os jovens. Especificamente:

  • Pessoas com menos de 40 anos passam cerca de 3,5 horas sozinhas
  • Pessoas entre 40 e 59 anos passam cerca de 4 horas e 45 minutos sozinhas
  • Pessoas com mais de 60 anos passam cerca de 7 horas sozinhas

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Psicólogo compartilha 3 maneiras para processar e superar traumas

· · ·

2. Pessoas que moram sozinhas

No relatório, o tempo gasto sozinho foi relatado separadamente para pessoas em diferentes condições de vida, mas apenas para pessoas com 60 anos ou mais:

  • Morar com o cônjuge: 5 horas e 21 minutos sozinho
  • Morar com pessoa que não seja o cônjuge: 7 horas e 46 minutos sozinho
  • Morar sozinho: 10 horas e 33 minutos sozinho

3. Homens

Finalmente, entre os idosos (mais de 60 anos) que moravam sozinhos e entre aqueles que moravam com outras pessoas além do cônjuge, mais homens do que mulheres passaram todas as horas acordados sozinhos durante o dia anterior:

  • 21% dos homens passaram as horas de vigília sozinhos
  • 12% das mulheres passaram as horas de vigília sozinhas

Morar sozinho:

  • 43% dos homens passaram todas as horas acordados sozinhos
  • 34% das mulheres passaram todas as horas acordadas sozinhas

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM