Comportamento e Relacionamento

Raiva: psicóloga dá dicas para entender e processar esse sentimento

A raiva é uma emoção com a qual todos estamos familiarizados

A raiva é uma emoção com a qual todos estamos familiarizados. Todos nós já ficamos desapontados e magoados, e nos sentimos usados, ameaçados ou decepcionados. “Quando a raiva aparece, experimentamos sintomas físicos, como tensão muscular, um nó no estômago e um súbito batimento cardíaco acelerado”, explica a psicóloga Monica Vermani. Ela também compartilha cinco passos para lidar com o sentimento de maneira mais saudável. Confira.

Passo 1

Pense em uma situação em seu passado que o fez sentir raiva: um momento em que você agiu com raiva ou suprimiu sua raiva e não conseguiu se defender.

Passo 2

Tire um tempo para se lembrar de que a raiva é uma emoção secundária, isto é, ela se origina de emoções primárias, como traição, tristeza e sentimento de abandono. Pense no que contribuiu para seus sentimentos de raiva nessa situação.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por: “Os 5 sinais mais óbvios de que a vida está estressando você, segundo psicólogo

· · ·

Passo 3

Usando o exemplo dessa situação, coloque as emoções primárias no topo da lista. Imagine esses sentimentos eventualmente se convertendo na raiva.

Passo 4

Imagine — e escreva — como você poderia ter processado sua raiva se tivesse sido capaz de examinar, entender e comunicar melhor seus sentimentos e preocupações, em vez de agir ou suprimir sua raiva.

Passo 5

Repita o processo. Da próxima vez que estiver com raiva de alguém, pense um pouco sobre os sentimentos que o levaram a sentir raiva. Tenha compaixão por si mesmo e por como você está se sentindo.

Reserve um tempo para considerar a melhor forma de resolver o que está fazendo com que você se sinta inseguro ou ameaçado. Com esses insights, responda com compaixão, em vez de reagir com raiva.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM