Saúde e Bem-estar

Beleza e ciência juntas: conheça os neurocosméticos, produtos que prometem bem-estar

Os cosméticos podem estimular a produção de endorfina, além de também produzir efeitos calmantes para o organismo

Se você, alguma vez na sua vida, já desejou um produto que pudesse produzir uma sensação de bem-estar de maneira rápida e pouco invasiva, ficamos felizes em dizer que seu sonho está um pouco mais próximo de se tornar realidade.

Todos nós já sabemos que existe uma baita conexão entre a pele e o sistema nervoso. “Isso ocorre, pois esses dois sistemas possuem a mesma origem embrionária”, explica a farmacêutica Karina Soeiro em uma entrevista ao site Universa.

Inclusive, você já deve ter notado que diversas doenças de pele têm origem emocional e certas pessoas percebem alterações na coloração e textura da pele quando expostas a diferentes emoções. A neurocosmética é a evolução da cosmética sensorial e se baseia nos aspectos fisiológicos da felicidade — o objetivo é reproduzir os efeitos positivos que o estado de felicidade causa na nossa pele. E os produtos dessa categoria têm ativos que atuam na pele de forma semelhante à endorfina, neurotransmissor responsável pelo humor e bem-estar.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Autocompaixão: uma técnica de terapia para pensamentos negativos

· · ·

“Nossa pele tem neurotransmissores e neuro receptores, por isso, somos capazes de sentir frio, calor... Além disso, ela é capaz de absorver mais de 60% daquilo que colocamos nela”, fala Patrícia Camargo, sócio fundadora da CARE Natural Beauty, também ao site.

Ou seja, podemos dizer que, graças a esses neurotransmissores e neuro receptores, quando usamos produtos que, comprovadamente, estimulam a beta-endorfina, que promove a sensação de bem-estar, nossa pele consegue ‘entender’ a mensagem e agir dessa maneira.

“Fato é existem substâncias chamadas neurotransmissores (neuromoduladores), produzidas em alguns órgãos, em especial no cérebro, que são responsáveis pela transmissão da mensagem entre diferentes tipos de células que regulam diversas funções como humor, assim como a manutenção da vitalidade de diversas células e tecidos”, diz a farmacêutica.

Neurotransmissores como a endorfina, são responsáveis pela sensação de bem-estar. Ela é produzida a partir de exercícios físicos ou do consumo de alimentos como chocolate, laranja e nozes. Quando essa produção é estimulada na nossa pele, esses receptores ajudam os fibroblastos a produzir colágeno, elastina, ácido hialurônico e outras moléculas essenciais para saúde da pele.

“A diferença é que a beta-endorfina está diretamente ligada àquilo que você coloca na pele, logo esses óleos essenciais estimulam e provocam a sensação de bem-estar e relaxamento, tanto pela parte sensorial quanto pela parte olfativa. Então, a sensação de prazer e bem-estar é desencadeada”, explica Patrícia.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM