Comportamento e Relacionamento

Psicóloga recomenda 3 estratégias para desacelerar sua mente ansiosa

Se você tem a mente ansiosa, vale a pena experimentar estas dicas

“Pensamentos ansiosos podem sobrecarregar você, dificultando a tomada de decisões e ações para lidar com qualquer problema que o incomoda”, diz a psicóloga Melanie Greenberg. O pensamento que vem com a ansiedade pode deixar alguém ainda mais nervoso.

“Como você pode sair desse ciclo vicioso? Reprimir pensamentos ansiosos não funcionará; eles apenas aparecerão novamente, às vezes com mais intensidade”, explica Greenberg. “Mas existem técnicas mais eficazes que você pode emprestar da redução do estresse baseada na atenção plena e das terapias cognitivo-comportamentais.”

1. Entenda o processo

Encare os seus pensamentos como dados em movimento passando por sua mente, em vez da verdade objetiva sobre uma situação. Nossos cérebros são hipersensíveis à ameaça e ao perigo porque isso manteve nossos ancestrais vivos na natureza. Alguns de seus pensamentos podem ser apenas reações condicionadas automáticas geradas por um cérebro orientado para a sobrevivência.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Cabeça quente: 3 coisas que você precisa fazer quando estiver tomado pela raiva

· · ·

2. Pratique a atenção plena

Pratique observar seus pensamentos em vez de reagir automaticamente a eles. Pense em seus pensamentos como nuvens flutuando: quais te atraem e quais te fazem querer fugir?

3. Foco na experiência direta

Sua mente inventa histórias sobre quem você é, e nem todas essas histórias são certeiras. Às vezes, nossas mentes são influenciadas por experiências negativas do passado. Qual é a sua experiência no momento presente? Isso é algo que está realmente acontecendo ou algo que pode acontecer? Lembre-se de que eles não são a mesma coisa.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM