Comportamento e Relacionamento

Você é chato? Veja lista com 6 características identificadas por psicólogos e descubra

Descubra se você é chato, segundo especialistas

As pessoas podem ser chatas de diferentes maneiras. “Por exemplo: alguém pode trabalhar em algo chato ou ter hobbies que a maioria das outras pessoas consideram chatos, mas a sua perspicácia e a sua personalidade envolvente evitam que seja visto como alguém ‘chatos’”, diz o psicólogo social Frank T. McAndrew.

“Por outro lado, ela pode ser seca e sem graça nos relacionamentos interpessoais, mas o seu talento artístico ou o seu trabalho fascinante a torna uma pessoa interessante aos olhos dos outros.” Novas pesquisas estão se debruçando sobre os estereótipos sociais associados a pessoas chatas — e especialistas listaram seis características que têm sido comumente identificadas.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Psicóloga social sugere 3 atitudes para se sentir menos sozinho e mais conectado

· · ·

Estudos do psicólogo Wijnand van Tilburg têm ajudado a entender os estereótipos associados a pessoas chatas. Em sua primeira pesquisa, van Tilburg pediu a 115 pessoas para gerar uma lista de coisas que associavam a pessoas chatas e, em uma segunda investigação, ele pediu a 116 pessoas diferentes para avaliarem os itens listados no primeiro experimento.

Os resultados foram divididos de acordo com as qualidades pessoais, ocupações e hobbies associados a pessoas chatas.

As características de uma pessoa chata

As características pessoais mais associadas a ser chato incluem:

  • Não ter interesses variados: ter apenas interesses estritos ou apenas um.
  • Não ser engraçado e não ter senso de humor.
  • Não ter opinião.
  • Reclamar muito e ser negativo.
  • Falar demais e ser um mau ouvinte.
  • Não ter criatividade e ambição.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM