Saúde e Bem-estar

Dor de cabeça: estas são as pessoas que correm maior risco de sofrer de enxaqueca

Saiba se você está entre os grupos que têm maior chance de viver com enxaqueca

Tontura

A enxaqueca é uma condição médica que envolve dores de cabeça graves e recorrentes, além de outros sintomas. Tanto que casos graves podem afetar o dia a dia de uma pessoa, incluindo a sua capacidade de estudar ou trabalhar.

Ao mesmo tempo, a enxaqueca pode afetar as pessoas de diferentes maneiras, já que algumas pessoas têm mais de um episódio por semana, enquanto outras experimentam crises ocasionais.

Por isso, especialistas se debruçam sobre o problema de saúde, para descobrir o que podem. Isto é o que eles sabem sobre as pessoas com maior probabilidade de enfrentar a terrível dor de cabeça.

Etnia

Uma análise de nove estudos sobre a enxaqueca nos Estados Unidos entre 2005 e 2012 descobriu que os episódios são mais ou menos comuns entre determinados grupos:

  • 17,7% dos indígenas
  • 15,5% dos brancos
  • 14,5% dos hispânicos
  • 14,45% dos negros
  • 9,2% dos asiáticos

Contudo, são necessárias mais pesquisas, já que elas devem considerar, também, fatores ambientais, comportamentais e socioeconômicos — sobretudo o acesso aos serviços de saúde.

Histórico familiar

Segundo pesquisa, 90% das pessoas com enxaqueca têm histórico familiar. Ainda de acordo com especialistas, se um dos pais tem enxaqueca, o risco é de cerca de 50%; o número aumenta para 75% se ambos os pais sofrerem da condição.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Enxaqueca: afinal de contas, o que causa a dor de cabeça?

· · ·

Idade

A enxaqueca pode acontecer em qualquer idade, mas a maioria das pessoas vive o seu primeiro episódio durante a adolescência.

Saúde mental

Qualquer pessoa pode desenvolver enxaqueca, mas há um risco maior para pessoas com ansiedade, depressão, distúrbios do sono, fibromialgia, síndrome do intestino irritável, transtorno bipolar e transtorno obsessivo-compulsivo.

Sexo

Em crianças, a enxaqueca é mais comum em meninos. Depois da puberdade, as garotas se tornam três vezes mais propensas a apresentá-la, e esse risco continua crescendo até os 40 anos. Depois, a curva entre as mulheres começa a diminuir.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM