Netflix

Bom dia, Verônica: entenda porquê a personagem de Klara Castanho come botões na série

Ângela, a personagem de Klara Castanho, sofre com sofre de depressão devido aos abusos que sofreu de seu pai na infância

Imagem de Klara Castanho na série 'Bom dia, Verônica'

A segunda temporada de ‘Bom dia, Verônica’ finalmente chegou à Netflix no último dia 3 deste mês e já se mostrou um sucesso entre os usuários da plataforma. Com a atriz Tainá Müller como protagonista, a série conta a história de uma escrivã de polícia que descobre um esquema de corrupção na cidade de São Paulo.

Nesta segunda temporada, além de Tainá Müller, a personagem da atriz Klara Castanho também é peça fundamental para as investigações e andamento da trama. Apesar de não ser um assunto muito abordado, a personagem ingere ou come botões de suas roupas quando tem crises de ansiedade, está aflita ou enfurecida com alguma situação.

Ângela, a personagem de Castanho é uma adolescente que é vítima de abuso do próprio pai, um pastor que usa a religião para camuflar seus crimes. Isso faz com que a personagem desenvolva alotriofagia, também chamada de síndrome de pica, uma doença onde o paciente sente uma vontade irresistível de comer coisas que não são comestíveis e que ele sabe que não deveria comer.

Normalmente, a alotriofagia acomete crianças ainda na idade da introdução alimentar, mas pode ocorrer até os seis anos de idade ou mais. Como a série não se aprofundou no assunto, não ficou explícito se Ângela passou a comer botões na adolescência ou se aquele é um comportamento que ela possui desde criança.

A alotriofagia pode ter diversas causas. Pessoas com deficiência de zinco e ferro, por exemplo, podem desenvolver o transtorno, como é o caso de mulheres grávidas, que eventualmente têm anemia em alguma fase da gestação e adotam o hábito de comer determinados objetos. Além disso, a doença também pode ser motivada por transtornos mentais, como depressão, esquizofrenia ou transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

Na série, fica evidente que Ângela sofre de depressão devido aos abusos que sofreu de seu pai na infância e de ser privada de ter uma vida “comum”. A depressão pode ter, posteriormente, desencadeado no surgimento da alotriofagia da personagem, explicando por que Ângela come botões.

· · ·

+ NETFLIX:

As melhores séries LGBTQIA+ disponíveis na Netflix e que você precisa assistir

Veja quem volta e quem fica de fora em ‘Sex Education 4′

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM