Famosos

Atriz de iCarly revela os abusos que sofreu da mãe durante a infância: “momentos pesados e de caos”

Jennette McCurdy, atriz que interpretou Sam em iCarly, revelou que teve uma infância marcada por abusos por parte de sua mãe

Em entrevista a People, Jennette McCurdy, atriz que ficou conhecida poro interpretar Sam em iCarly, programa da Nickelodeon, revelou que sua infância foi marcada por diversos abusos que sofreu de sua mãe, Debbie McCurdy, que morreu de câncer em 2013.

“Ninguém tem uma vida perfeita”, afirmou Jennette. Ela contou que vivenciou diversas brigas físicas de seus pais quando era criança. “Minhas primeiras memórias de infância são de momentos pesados e de caos. As emoções da minha mãe eram tão erráticas e era como andar em uma corda bamba todos os dias. As alterações de humor eram diárias”, relembrou.

A atriz também revelou que era muito tímida, mas aos seis anos sua mãe colocou na cabeça que ela deveria ser uma estrela. Ela foi levada para diversos testes e acabava se submetendo para manter a paz em casa.

Ainda quando era pequena, a atriz foi submetida a diversas mudanças estéticas. Sua mãe contava cada caloria que ela comida e isso gerou um transtorno alimentar. “Minha mãe me dizia que podia me ensinar a contar calorias e que seríamos um time, mas que eu precisava guardar segredo sobre isso. Achei que era uma oportunidade para sermos mais próximas”, explica a atriz.

+ FAMOSOS

Kim Kardashian revela dura crítica que sua filha faz quando está brava

Ana Paula Padrão faz reflexão emocionante sobre sua escolha de não ser mãe

Os valores que a cantora Thalia transmite para sua filha para torná-la emocionalmente inteligente

Jennette McCurdy também revelou que na época que gravava iCarly sofria com anorexia. “Ironicamente, a marca da minha personagem é que ela amava comida. Eu tinha cenas em que precisava comer e eles tinham um balde para eu cuspir, mas eu ficava aterrorizada que as calorias continuariam no meu corpo”.

Debbie foi diagnosticada com câncer e acabou morrendo em 2013. A atriz afirmou que acredita que se sua mãe tivesse viva ainda estaria sofrendo com transtorno alimentar. “Foi apenas a distância dela que me permitiu ficar saudável”, declarou Jennette que fez anos de terapia para lidar com o problema.

“Eu não sabia como encontrar minha identidade sem minha mãe. E não vou mentir. Foi muito difícil chegar até aqui. Mas agora, estou em um lugar da minha vida que nunca achei que seria possível. Finalmente me sinto livre”, completou.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM