Notícias

Geração Z adia maternidade por causa dos desafios que as mães millennials enfrentam, diz pesquisa

Elas têm tomado decisões de carreira e família observando a geração anterior

A geração Z ultrapassou os millennials há alguns anos como a maior geração. Esclarecidas e práticas, as habilidades e atitudes que adquiriram no breve período de suas vidas terão impacto no futuro do trabalho. Mas são suas visões confiantes e independentes fora do local de trabalho e sobre maternidade, no entanto, que os tornarão uma geração difícil de ser ignorada por todos.

A geração Z está aumentando as taxas de participação feminina na força de trabalho, gerando simultaneamente novas demandas por moradia, eletrodomésticos, carros e outros bens necessários para iniciar uma nova vida adulta. Como resultado, esses novos domicílios representam uma parcela significativa do crescimento dos gastos totais do consumidor a cada ano.

No entanto, suas aspirações de carreira são impulsionadas por observar como as mães da geração millennial estão sendo tratadas pelo governo e pelas corporações em todo o mundo, e suas conclusões causarão um efeito de bola de neve em toda a economia. De acordo com uma pesquisa da imobiliária de luxo Ruby Home, dos Estados Unidos, as aspirações de carreira das mulheres da geração Z estão sendo moldadas pelas experiências das mães millennials.

Eles estão aumentando as taxas de participação feminina na força de trabalho, mas as mulheres da geração Z planejam adiar a maternidade e ter menos filhos do que as millennials. De acordo com uma pesquisa recente com mais de 1.000 membros da geração Z, 27% não querem ter filhos. Quando perguntadas por que não querem ter filhos, 89% das mulheres da geração Z disseram que gostam da flexibilidade que suas vidas têm sem filhos e 70% valorizam seu tempo sozinhas.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Licença maternidade: Projeto de lei quer diminuir atrasos nos pagamentos

· · ·

Isso pode se tornar um problema, porque se a geração Z atrasar a maternidade, as indústrias que contam com um crescimento ainda mais forte serão forçadas a reduzir a produção e as entregas dos fornecedores. O que, em última análise, reduz a receita dos proprietários de pequenas empresas da América e afeta as pessoas comuns. Isso já aconteceu nos Estados Unidos antes, entre o final da geração baby boom e o final dos anos 1970 (geração X). Foi citado como um impulsionador da recessão dos anos 80.

De acordo com o Werklabs (a divisão de pesquisa do The Mom Project), as futuras mães estão prestando atenção em seus gerentes, na cultura da empresa e nos departamentos de recursos humanos para ver como as mães existentes na empresa são tratadas. Em alguns casos, elas estão considerando essas informações em sua decisão de permanecer na organização ou continuar sua jornada para a maternidade. Se elas não veem as mães existentes em seu escritório sendo recompensados por sua autenticidade e transparência, por que essas mães se sentiriam mais à vontade em fazê-lo?

Os insights da pesquisa Ruby Home concordam: 97% dos membros da geração Z citam a saúde mental positiva como seu segundo objetivo de vida mais importante. Das mulheres da geração Z que não querem ter filhos, 66% delas dizem que a saúde mental é um dos motivos.

De acordo com o Estudo do Estado da Maternidade de 2022, mesmo as mães trabalhadoras da geração Z que têm filhos não têm certeza se planejam ter mais (27%, em comparação com apenas 22% das céticas millennials). Alguns citam razões de carreira como motivo; 40% se sentem frustradas e querem combinar carreira e maternidade, mas precisam de um novo arranjo no trabalho para tornar isso possível. Eles também expressam que seus gerentes poderiam apoiá-las melhor como mãe, comunicando-se proativamente para entender melhor suas necessidades fora do trabalho.

Suponha que não seja fácil para as mães a sair e reingressar facilmente no mercado de trabalho hoje (porque não é). Nesse caso, a maternidade profissional continuará a parecer um fardo insuportável para as mulheres que valorizam suas carreiras no futuro. Tal resultado levará a outra crise e recessão.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM