Notícias

Mulher descobre ter segunda vagina ao entrar em trabalho de parto

Ela revelou como é viver com a condição rara

Tem coisas que são inexplicáveis na nossa vida, ou que a gente nem pode imaginar que vai acontecer, não é mesmo? Foi o caso de Vic Au-Yeung, de 42 anos, que descobriu aos 16 anos que tinha dois úteros, mas não sabia até engravidar anos depois que teria dois colos do útero e dois canais vaginais.

Leia também:

Mulher é comparada com Ross de Friends após bronzeamento artificial dar errado

Ela, que hoje em dia é mãe de três filhos, detalha como passou por momentos conturbados na adolescência, seja com períodos menstruais tão fortes que chegou a desmaiar de dor, e com alguns médicos a dizendo que ela não poderia engravidar. Com isso, ela até descontou a frustração em álcool e outras coisas por uns anos.

Vic lembra que usava quatro absorventes na noite e mesmo assim ainda tinha que acordar para trocar de hora em hora. “Quando eu tinha 16 anos, desmaiei na rua de dor e fui levada ao pronto-socorro, onde os médicos me disseram que eu tinha dois úteros e que nunca teria filhos como resultado, e esse foi o motivo dos meus períodos ruins. “Fiquei absolutamente devastada e completamente de coração partido. Senti como se meu futuro tivesse sido tirado de mim.”

Foi então que ela engravidou do seu primeiro filho, Clio, que hoje em dia tem 23 anos, e descobriu que tinha dois colos de útero e uma pequena segunda vagina. “Quando dei à luz, os médicos já sabiam sobre meus úteros, mas foi enquanto me examinava em trabalho de parto que perceberam que eu tinha dois colos do útero. Eu também tive um prolapso terrível depois que ela nasceu. Eles me disseram que era a pele dividindo minha vagina normal além de uma segunda que era indetectável, pois era tão pequena em tamanho.”

Assim, ela soube que teria a Síndrome de Klippel-Feil - uma condição óssea congênita onde pelo menos duas vértebras cervicais permanecem fundidas e imóveis. Isso pode ser resultado de um gêmeo não se formar adequadamente no útero, e o bebê que sobrevive acaba herdando dois órgãos reprodutivos.

Por conta disso, Vic desenvolveu a distonia, que é uma condição crônica relacionada ao SKF onde os músculos se contraem involuntariamente, trazendo movimentos repetitivos ou de torção.

Após ser diagnosticada com endometriose no estágio quatro, realizou uma cirurgia de histerectomia, e tirou um dos úteros, que fez com que suas dores sumirem completamente. “Não sentir mais dor é absolutamente uma mudança de vida.” finaliza ela.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM