logo
aplicativos de namoro / Pexels
Notícias 05/09/2021

A pandemia está mudando a maneira como usamos aplicativos de namoro, constata estudo

Com a pandemia, um estudo constatou mudanças de comportamento dos usuários. Entenda!

Por : Redação

A pandemia fez com que mudássemos nossas vidas de forma drástica e isso teve um impacto negativo em nossa saúde mental.

O estudo “ConVid Comportamentos”, realizado em parceria pela Fiocruz, Unicamp e UFMG, entrevistou 45.161 brasileiros constatou que 40,4% dos entrevistados afirmaram sentimentos de tristeza ou depressão.

Além disso, 52,6% deles disseram que experimentaram sentimentos de nervosismo ou ansiedade, muitas vezes ou sempre, durante a pandemia.

Mas como isso impacta na maneira como usamos aplicativos de namoro? De várias formas. A pesquisa “Associations Between Social Anxiety, Depression, and Use of Mobile Dating Applications” identificou que, quando a pessoa está com elevado nível de depressão ou ansiedade, aumenta a possibilidade dela de usar aplicativos de namoro, como o Tinder.

Os pesquisadores ainda perceberam que isso tem um nível maior de acorrer entre as mulheres. Há ainda outra descoberta. Homens com níveis mais alto de ansiedade e depressão tem menos possibilidade de iniciar um contato por meio do app de namoro.

LEIA TAMBÉM

Apoie
Compartilhe os nossos textos com os seus amigos. O seu apoio ajuda a manter a NOVA MULHER como um site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o nosso trabalho.

Siga-nos
Gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para ter acesso a mais novidades: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Nós também participamos do Google Notícias: