logo
/ Vogue
Notícias 09/05/2021

Chinesa abandonada na infância por ser albina vira capa da Vogue

Ser albino na China é considerado uma maldição e, por isso, muitas crianças são abandonas. É o caso desta chinesa que virou capa da revista Vogue

Por : Da redação

Xueli Abbing foi abandonada há 16 anos por ser albina. Apesar de ser um fato genético, e que acomete 1 em cada 20 mil pessoas, para os chineses isso é considerado uma maldição. Por isso, muitos deles acabam abandoando as crianças albinas.

Xueli, por exemplo, que virou capa da revista Vogue foi abandonada em um orfanato. Felizmente, quando completou 3 anos, ela foi adotada por uma família holandesa Abbing e mudou-se para a Holanda.

Com sua família, ela pode ser quem ela era. E aos 11 anos se destacou. Por se vestir de forma única, com essa idade ela entrou na indústria da moda. Isso fez com que ela ganhasse uma exposição alta e que ela logo utilizou para aumentar a conscientização sobre o albinismo.

Agora aos 16 anos, ela vira capa de uma das revistas mais importantes de moda do mundo. “Na moda, parecer diferente é uma bênção, não uma maldição, e isso me dá uma plataforma para aumentar a conscientização sobre o albinismo”, disse Xueli à jornalista da BBC Jennifer Meierhans.

“Ainda existem modelos que têm quase 2,5 metros e são magras, mas agora as pessoas com deficiências ou diferenças aparecem mais na mídia e isso é ótimo – mas deveria ser normal. Modelos com albinismo costumam ser estereotipados em fotos para retratar anjos ou fantasmas e isso me deixa triste. Especialmente porque perpetua aquelas crenças que põem em perigo a vida de crianças com albinismo em países como a Tanzânia e o Malawi”, explica.

LEIA TAMBÉM