Pesquisa revela que mulheres negras são as principais vítimas de assédio sexual no trabalho

Crédito: Ezekixl Akinnewu no Pexels

Um projeto desenvolvido pelo LinkedIn e Think Eva intitulado "Trabalho sem Assédio" identificou que as mulheres negras são as principais vítimas de assédio sexual no trabalho.

A situação foi identificada por meio de uma pesquisa que entrevistou 381 mulheres. 95% afirmam saber o que é assédio sexual no ambiente de trabalho, 51% afirmam que falam com frequência sobre o tema.

Entre as 381 mulheres entrevistadas 54% são mulheres pretas ou pardas com renda entre dois e três salários, das regiões Nordeste e Centro-Oeste. Além disso, o estudo revelou que 47,12% das mulheres entrevistadas sofreram assédio no trabalho.

"Mais do que falar, queremos trazer a discussão para um nível de consciência e de quebra de um mercado profissional que pouco age em casos de denúncia. Temos como objetivo chamar lideranças empresariais e vozes relevantes nas redes sociais a assumirem um compromisso público e aberto de combate ao assédio no ambiente de trabalho, conclamando para a adoção de ações preventivas de contenção e proporcionando, assim, um ambiente mais seguro", afirma Ana Plihal, executiva de soluções de talentos e líder do Comitê de Mulheres do LinkedIn Brasil, a Revista Marie Claire.

LEIA TAMBÉM