Coronavírus se transformou em duas cepas e uma delas é agressiva, afirma estudo

O coronavírus sofreu uma mutação e se transformou em pelo menos duas cepas diferentes desde o início do surto em dezembro, afirmam cientistas chineses.

Segundo informações de um estudo realizado na Universidade de Pequim, na Universidade de Xangai e na Academia Chinesa de Ciências, 70% dos pacientes infectados pegaram o tipo mais agressivo e contagioso.

Os pesquisadores constataram que ao menos 94.000 pessoas foram infectadas em todo o mundo e quase 3.200 morreram, enquanto 50.000 se recuperaram da doença.

Para os profissionais, a mutação do vírus pode dificultar o controle ou o tratamento e aumenta a perspectiva de que pacientes recuperados possam ser reinfectados.

Todavia, os especialistas explicam que o estudo que descobriu a mutação utilizou apenas uma pequena quantidade de dados – 103 amostras.