logo
Saúde e Bem-estar 08/09/2021

Pílula do dia seguinte: conheça os riscos desse método contraceptivo de emergência

A pílula do dia seguinte é uma droga popular entre as mulheres com vida sexual ativa; porém, é preciso entendê-la melhor

Por : Redação

De acordo com o portal Meganoticias (em espanhol), a pílula do dia seguinte é uma droga popular entre as mulheres com vida sexual ativa. Porém, é preciso entendê-la melhor.

Esse recurso de prevenção da gravidez deve ser usado em casos de emergência — ou seja, não como sistema primário. Isso inclui casos de sexo desprotegido ou de problemas com os outros métodos contraceptivos.

Saiba mais sobre o assunto:

Como a pílula do dia seguinte funciona?

Os componentes da pílula do dia seguinte podem impedir que o óvulo saia do ovário ou alterar o muco cervical para que o esperma não alcance o óvulo.

Caso a fecundação já seja um fato, a pílula é capaz de agir no endométrio do útero para impedir a possível implantação do embrião.

Porém, a pílula do dia seguinte não é um sistema abortivo. Em outras palavras: se a gravidez já está em andamento, não pode ser interrompida.

Quais são os riscos da pílula do dia seguinte?

Embora não tenda a causar danos a longo prazo, a pílula do dia seguinte pode ter efeitos colaterais leves, como:

  • dor de barriga
  • dor de cabeça
  • sangramento vaginal
  • sensibilidade mamária
  • vômito

A obstetra Cecilia Guzmán disse (em espanhol) que não é aconselhável ingerir esse medicamento constantemente, pois pode gerar graves alterações hormonais.


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: