logo
Saúde e Bem-estar 08/05/2021

Conheça 5 alimentos com alto percentual de cálcio e que não são de origem animal

O cálcio é um mineral essencial para manter os ossos fortes e saudáveis

Por : Redação

O cálcio é um mineral essencial para manter os ossos fortes e saudáveis. Também serve para prevenir doenças associadas à saúde da estrutura óssea, como a osteoporose.

Estima-se que aproximadamente um adulto deva consumir, diariamente, entre 1 mil e 1,2 mil miligramas de cálcio — valor que pode mudar dependendo das recomendações nutricionais de cada pessoa.

No caso de mulheres que começam a menopausa, recomenda-se que o consumo seja aumentado para 1,5 mil miligramas por dia.

Saiba mais sobre o tema a seguir:


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela nossa publicação mais recente:


Gergelim

Por menores que sejam, as sementes de gergelim são uma das melhores nesta categoria. Independentemente do formato em que são consumidos, se são torrados ou em pasta como a tahine, o gergelim é uma excelente fonte que contém 975 miligramas de cálcio por 100 gramas.

Brócolis

No mundo vegetal, principalmente o das folhas verdes, existe uma grande variedade de alimentos ricos nesse mineral. Brócolis, repolho e couve são alguns deles, e a recomendação dos especialistas é consumi-los no vapor para maximizar a absorção de vitaminas e minerais.

Grão-de-bico

As leguminosas em geral são outro grupo de alimentos que podem substituir o leite. No caso do grão-de-bico, ele contém 105 miligramas de cálcio por 100 gramas.

Soja

A soja é a leguminosa estrela dos veganos e vegetarianos graças à versatilidade de formatos em que pode ser consumida e ao seu excelente conteúdo proteico e mineral. Nesse caso, a contribuição de uma bebida de soja é praticamente igual à de um copo de leite.

Amêndoas

Além de contribuir para a saúde cardiovascular, as amêndoas podem complementar a ingestão de cálcio, mas seu consumo deve ser regulado. 


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: