logo
/ Divulgação - Pinterest
Saúde e Bem-estar 07/06/2021

5 chás à base de ervas para combater a ansiedade e o cansaço

Há evidências de que produtos à base de plantas podem reduzir a ansiedade devido aos seus efeitos sedativos

Por : Redação

As bebidas à base de ervas fazem parte da medicina tradicional e são infusões obtidas a partir de certas frutas ou ervas aromáticas introduzidas na água quente.

Atualmente, há algumas evidências de que produtos à base de plantas podem reduzir os sintomas de ansiedade devido aos seus efeitos sedativos.

Saiba mais:


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela mais recente publicação da NOVA MULHER:


Ginkgo biloba

A Ginkgo biloba é uma planta medicinal originária da Ásia cujas folhas têm sido utilizadas há mais de 2 mil anos contra diversas enfermidades, principalmente relacionadas ao cérebro e ao fluxo sanguíneo.

A infusão de Ginkgo ajuda a combater a ansiedade, melhora a memória e a velocidade de pensamento, entre outros. Também previne problemas de visão em pessoas com diabetes e hipertensão.

Anis

A infusão de anis tem sido tradicionalmente usada em problemas do sistema digestivo. É um expectorante e atua como relaxante muscular. Ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Hibisco

O chá de hibisco é um excelente antioxidante, fornece vitamina C e beneficia o sistema imunológico. Além disso, tem efeito diurético. Por isso, é recomendado para pessoas com hipertensão. Também alivia o estresse e a fadiga.

Camomila-alemã

Dos chás e infusões de ervas, é o mais utilizado contra desconfortos gastrointestinais. Possui efeitos anti-inflamatórios, antibacterianos e antifúngicos. Aplicado topicamente, é muito eficaz contra irritações oculares.

Menta

A hortelã-pimenta é muito rica em vitamina C e carotenos (precursores da vitamina A). Ele também contém minerais como ferro, potássio e cálcio. É usado para aliviar a digestão pesada e é considerado um bom relaxante muscular.


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar um tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de jornalistas e redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: