Saúde e Bem-estar

Confira 5 formas naturais e muito simples de parar de sentir tontura

Sentar-se imediatamente após começar a sentir tontura pode realmente ajudar

Mulher com tontura

Sentir tontura pode ser muito desconfortável. Suas causas mais comuns podem ser, por exemplo, efeitos colaterais de medicamentos, labirintite, embriaguez, pressão alta, entre outras.

A procura por um médico especialista pode ser importante para receber o diagnóstico correto e realizar o tratamento adequado na presença de tonturas, principalmente na presença de outros sintomas mais graves.

No entanto, existem também algumas formas de tratamentos naturais, que podem ser colocadas em prática no dia a dia, para parar de sentir tontura frequentemente. Quer conhecer algumas delas? Confira 5 delas a seguir, extraídas do portal Dr. Axe (texto em inglês):

1. Relaxar e se hidratar

Sentar-se imediatamente após começar a sentir tontura, pode realmente ajudar. Se forem tonturas relacionadas à vertigem, pode ser uma boa ideia manter os olhos fechados enquanto estiver deitada.

Se os sintomas estiverem ligados à desidratação, pode-se tomar uma bebida hidratante, como água de coco. Agora, caso esteja superaquecida, ir para uma área mais fria o mais rápido possível, como uma sombra ao ar livre ou entrar em um espaço interno mais fresco, pode ajudar.

2. Fazer acupuntura

Esta é uma técnica de saúde holística que se origina das práticas da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), onde profissionais adequados estimulam pontos específicos do corpo inserindo agulhas finas na pele.

O objetivo de um estudo clínico de coorte piloto, publicado na revista BMC Complementary and Alternative Medicine, avaliou a segurança e eficácia do uso da acupuntura no tratamento de pacientes com tontura e vertigem em uma sala de emergência.

Havia 30 pessoas divididas em dois grupos auto selecionados: o grupo de acupuntura e o grupo de controle. Ninguém apresentava condições de risco de vida ou distúrbios do sistema nervoso.

Após 30 minutos de tratamento de acupuntura, os pesquisadores descobriram que houve diminuições imediatas e significativas de tontura e vertigem, conforme medido pela Escala Visual Analógica (VAS).

3. Diminuir o consumo de álcool e cafeína

Se, porventura, a tontura estiver ligada ao ouvido interno, pode ser importante diminuir a cafeína, que incluem café, chá e refrigerantes, e o álcool. Em pequenas quantidades, o café, o chá e o vinho tinto orgânicos são ricos em antioxidantes e possuem possíveis benefícios para a saúde.

Entretanto, em grandes quantidades, a cafeína e o álcool são conhecidos por terem efeitos negativos no sistema circulatório. A tontura é um efeito colateral conhecido da overdose de cafeína.

Da mesma maneira, muito álcool pode ser uma causa de tontura. Ao beber, a parte do cérebro responsável pelo equilíbrio – o cerebelo – é afetada diretamente. Portanto, tonturas podem ocorrer durante a bebida ou na ressaca.

4. Verificar os níveis de B12 e consumir alimentos ricos nesta vitamina

Um dos sintomas da deficiência de vitamina B12 é a tontura. Por isso, é importante se certificar dos níveis de B12 se estiver sentindo tonturas. Para obter mais desta vitamina na dieta diária, consumir alimentos como ovos, queijo cottage e sardinha, por exemplo, pode ajudar.

5. Desestressar e procurar ajuda se necessário

Sabe-se que a ansiedade e o estresse colaboram para a sensação de tontura. Portanto, é importante se certificar de fazer tudo o que for possível para reduzir o nível de estresse diariamente. Para isso, pode-se encontrar atividades que possam estimular um estado de calma e praticá-las regularmente.

· · ·

Leia também:

https://www.novamulher.com/estilo-de-vida/2022/12/27/saiba-como-se-desconectar-do-seu-celular-durante-as-ferias-com-estas-5-dicas/

https://www.novamulher.com/estilo-de-vida/2022/12/23/babosa-estes-sao-alguns-dos-beneficios-que-esta-planta-pode-proporcionar-para-a-pele-e-voce-nao-sabia/

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM