Comportamento e Relacionamento

Mulher decide colocar cerca no quintal e vizinhos idosos reprovam sua atitude

Ela conta ter se sentido insegura, pois o filho dos vizinhos começou a invadir seu espaço.

pixabay

Por meio do usuário u/throwawayrelations17, uma mulher usou o Reddit na última quarta-feira (23) e desabafou sobre um conflito enfrentado com seus vizinhos. Recentemente, ela comprou uma casa sem proteção e resolveu cercá-la.

Segundo a mulher, seu desejo era pelo menos uma carca de madeira de dois metros, pois tem um cachorro que poderia pular facilmente um cercado menor. Embora tivesse o alvará, seus vizinhos, que moram há mais de 60 anos na redondeza, não gostaram da ideia.

“Bem, me comprometi e disse que poderia fazer de um metro, mas meu cachorro entraria no quintal deles. Bem, então Edward (nome alterado) apareceu”, escreveu ela. A mulher conta que Edward é o filho dos vizinhos, que tem 64 anos de idade.

“Ele é deficiente intelectual. Originalmente, tentei ser amigável porque sei que deficiência intelectual não é culpa de ninguém. Então Edward começou a vir para cá, andando no meu quintal sem ser convidado, batendo na minha porta a cada duas horas para que eu ainda tentasse ser legal... então começou a dizer coisas sobre eu não estar em casa. Depois disso, falou ao meu empreiteiro que estava olhando pelas minhas janelas e entrando no meu quintal”, escreveu a mulher.

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por: “Ela decidiu não relevar ao ex o sexo do bebê e este é o motivo”

Mudança de planos

Segundo a autora, ela é uma mulher solteira e a situação a deixou desconfortável. Depois dos episódios, a ideia de colocar a cerca de dois metros foi implementada.

“Agora Edward grita comigo sempre que vê meu carro. Ele grita sobre meu cachorro e minha cerca. Seus pais continuam ligando para a cidade [para reclamar] sobre mim, embora eu não tenha feito nada de errado”, comentou.

De acordo com ela, o xerife até chegou a conversar com a autora do relato, sem resultar em problemas à mulher.

“Eu entendo que as pessoas com deficiência intelectual e idosos não gostam de mudanças, mas...”, finalizou ela.

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM