Saúde e Bem-estar

Como a medicina natural usa a amora para promover o bem-estar?

A fruta é nativa das terras altas e áreas tropicais e oferece vários benefícios

De acordo com o portal Nueva Mujer (em espanhol), esta fruta é nativa das terras altas e áreas tropicais encontradas na Colômbia, Equador, Panamá, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México e Peru, entre outros países. Desenvolve-se muito bem em solos argilosos e existem mais de 300 espécies diferentes.

Os usos da amora pela medicina natural

A amora é purificadora do sangue, antisséptica, vermífuga, digestiva e diurética. Por isso, é recomendada para quem sofre de artrite ou gota. Em casos de desconforto na garganta, como amigdalite ou inflamação das cordas vocais, recomenda-se beber suco de amora quente adoçado com mel.

Em caso de diarreia e disenteria, o suco de amora é altamente recomendado por médicos naturopatas. Esse mesmo suco de amora exerce uma ação energética e anti-inflamatória, sendo usado com bons efeitos em gargarejos contra infecções de garganta.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Estes são os alimentos que você deve comer para queimar gordura e ganhar massa muscular

· · ·

As folhas e a casca da árvore também podem ser aproveitadas

Para combater as infecções do trato urinário, você pode preparar, em infusão, um chá, adoçado com mel com as flores naturais da amoreira (a árvore cujo fruto é a amora).

Da mesma forma, o chá de folhas de amoreira, aplicado no couro cabeludo em massagem, é bom para combater a queda de cabelo. Já a casca do tronco da amora produz um chá que é tomado em caso de dores ósseas e articulares com inflamação

Esse mesmo chá produz bons resultados no tratamento do diabetes. O seu efeito pode ser amplificado se misturado com suco de alho ou de cebola. A casca e a raiz da amora também são usadas para combater vermes intestinais.

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM