Sexualidade

Psiquiatra explica porquê pessoas são enganadas em aplicativos de relacionamento

Você já deve ter assistido programas sobre o assunto que ficou se perguntando como aquilo foi possível. Bom, agora você ficará mais perto de saber

Muitos de nós assistimos a programas de TV sobre catfishing (pessoas que se passam por outras em aplicativos de relacionamento) ou rimos de piadas on-line sobre pessoas aparecendo como alguém drasticamente diferente de suas fotos.

Um fenômeno que nem tinha nome algumas décadas atrás agora é um termo usado regularmente, e qualquer pessoa que se aventurou no mundo do namoro online, já pensou sobre a possibilidade de catfishing de vez em quando. Embora os programas de TV e memes que surgiram por causa do catfishing nos forneçam entretenimento, todas as piadas à parte, o catfishing é uma dura realidade vivida por algumas pessoas e pode ter efeitos duradouros na vítima.

Se você não estiver familiarizado com o termo, catfishing, é quando alguém usa uma persona online falsa para persuadir alguém a um relacionamento. Tende a ser mais do que uma pequena mentira, como mentir sobre sua altura. Em vez disso, geralmente é um esquema muito maior que envolve um perfil inteiro de imagens roubadas, uma história inventada e talvez até um nome falso.

Para saber mais sobre o fenômeno, POPSUGAR (em inglês) conversou com Judith Joseph, psiquiatra certificada pelo conselho e especialista em bem-estar, para saber porque as pessoas caem nesses golpes, em primeiro lugar e o que você podemos fazer se tiver sido enganado por alguém que conheceu online.

· · ·

Se você está gostando deste texto, é provável que também se interesse por:Novo estudo mostra o poder da ressonância de positividade para casais

· · ·

Por que as pessoas caem nesses golpes?

Não há uma razão para as pessoas serem caírem em um catfish, mas uma coisa que todos os golpistas têm em comum é a vontade de enganar. “O catfishing tem suas raízes na desonestidade e as pessoas são desonestas por muitas razões”, disse Dra. Joseph à POPSUGAR. “No extremo mais inocente do espectro, as pessoas são desonestas porque estão com medo, ansiosas de serem rejeitadas ou porque são inseguras.”

Por exemplo, alguém que não tem confiança em sua aparência pode criar um perfil usando as fotos de outra pessoa para se sentir mais confiante se escondendo atrás de uma personalidade diferente. Alguém que tende a ser um pouco mais tímido ou ansioso em situações sociais pode criar uma persona mais ousada ou extrovertida para testar as águas de um tipo diferente de autoexpressão sem arriscar se machucar.

“No extremo mais insidioso do espectro, existem pessoas com transtorno de personalidade antissocial”, continua Dra. Joseph. “Esses indivíduos são comumente rotulados como sociopatas e tendem a mentir e enganar os outros por dinheiro e/ou prazer.”

Quais são os sinais de alerto do catfishing?

Infelizmente, o catfishing é um risco que vem com o namoro online – você não saberá se alguém é realmente quem diz ser até vê-lo cara a cara. Felizmente, existem sinais que você pode observar para se proteger. De acordo com a Dra. Joseph, algumas alertas comuns que podem indicar que você está falando com um catfish são:

  • Eles são inconsistentes e há contradições em suas histórias;
  • Eles tendem a postar imagens profissionais ou com aparência de modelo;
  • Eles dizem que têm razões extremas para não falarem ao telefone ou se encontrarem pessoalmente;
  • Eles não querem que você fale com seus amigos ou familiares;
  • Eles pedem dinheiro ou favores que o deixam desconfortável.

Nesta era de namoro online, essas sinais são algo importante a ser observado. Aplicativos de relacionamento oferecem a opção de verificação de fotos, o que pode adicionar uma camada extra de segurança. Se você quiser fazer uma pequena investigação, considere pesquisar imagens, contas de mídia social e números de telefone on-line para verificar a identidade de alguém.

Como você pode lidar com catfish?

É totalmente normal e compreensível sentir uma variedade de emoções dolorosas se você for vítima de catfishing. Embora instintivamente você possa se sentir culpado, envergonhado ou como se a culpa fosse sua, a Dra. Joseph diz que é importante evitar se culpar pela experiência. A auto culpa é um tema comum que a Dra. Joseph vê em sua prática clínica, mas é fundamental lembrar que a culpa não é sua.

“Eles se sentem tolos por se apaixonarem por algo que acreditam que deveria ter sido um golpe óbvio”, diz a psiquiatra. “No entanto, é importante lembrar que muitas pessoas que usaram catfishing usaram esse padrão de engano inúmeras vezes em muitos indivíduos e aperfeiçoaram a arte de mirar e enganar os outros. É importante falar sobre a experiência em vez de se envergonhar.”

Esse tipo de experiência afetará cada indivíduo de maneira diferente, portanto, permita-se o tempo para processar seus sentimentos, por mais intensos que sejam. “Ser enganado pode ser traumatizante”, diz a Dra. Joseph. “Muitas pessoas caem em padrões de depressão e desespero quando não podem compartilhar suas experiências com os outros devido à vergonha e carregam esse fardo sozinhas”.

Terapia narrativa e registro em diário são algumas das recomendações da Dra. Joseph para identificar quaisquer padrões que possam ter levado você a essa experiência. “Quando você reconhece os padrões que deseja mudar”, diz ela, “você pode estar mais ciente de como evitá-los para não repetir os erros do passado”.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM