Saúde e Bem-estar

O acúmulo digital pode afetar nossa saúde

Saiba como se livrar dessa questão

Sabia que, se seu telefone está com um armazenamento cheio e no máximo - ou seja, com milhares de fotos, e-mails não lidos, aplicativos que você nem usa e só estão lá para ocupar espaço - e mesmo assim você não tira um tempo para fazer essa limpa, isso pode te tornar um acumulador digital.

Leia também:

Dores menstruais fora de hora: 5 coisas que podem causar o problema

E existe uma razão científica por trás disso, já que a incapacidade de se organizar digitalmente pode criar um buraco que acaba afetando nossa saúde mental. Para se ter uma ideia, a média de e-mails recebidos chega a 1200, e pelo menos 25% das pessoas admitiram que nunca fazem atualizações dos aplicativos, mesmo sendo necessário.

“O acúmulo digital é quando você cria e mantém um grande número de arquivos digitais”, escreve a instituição de saúde mental Mind sobre essa questão. “A exclusão de arquivos pode causar o mesmo desconforto que outras pessoas que acumulam podem sentir em torno de objetos físicos. E você pode querer manter esses arquivos por motivos semelhantes.” Sabe aquelas pessoas que salvam as coisas só “para ter” ser acontecer algo? Exatamente.

Esse acúmulo é uma consequência da nossa desordem física, e acaba afetando nossa saúde mental, ocupando nossa vida e bagunçando coisas que já deveriam ter sido feitas. Muitas pessoas tem problemas em simplesmente deletar as coisas e continuar adiando, mesmo sabendo que é necessário e sempre acham que nunca é um bom momento para fazer isso.

Então, ao invés de comprar mais espaço para armazenar coisas desnecessárias, é melhor se dedicar a um tempo para gerenciar essa bagunça digital, para não desenvolver um estresse e/ou ansiedade como um fator determinante para a organização.

Pesquisas ainda mostram que 59% das pessoas que fizeram essa reorganização se sentiram mais produtivas, realizadas e aliviadas. Pronta para fazer a sua?

· · ·

Aviso

Este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM