Comportamento e Relacionamento

Por que você sempre interpreta seu parceiro do jeito errado? Psicólogo explica motivos

Frequentemente cometemos erros em relação ao nosso parceiro

Folhas de papel amarelas sobre um fundo verde, formando um balão de bate-papo com três papéis amassados parecidos a reticências

Em um relacionamento, fazer suposições sobre as atitudes do parceiro pode levar a discussões e, em casos extremos, a uma separação. Com o seu título de doutor em psicologia, Leon Seltzer (em inglês) comenta que é importante reconhecer a origem dos problemas antes que eles cheguem a um ponto crítico. Por isso, em artigo no site Psychology Today, ele identifica (também em inglês) as principais causas dos desentendimentos para que você possa resolver certos temas em vez de sabotar a sua vida em casal.

Descartar a vida passada do parceiro

Conhecer o passado do parceiro é essencial para entender a sua cara-metade. “Precisamos nos tornar mais inteligentes psicologicamente se quisermos compreender com precisão as várias maneiras pelas quais, ainda que enviesadamente, o passado cria problemas […] com os quais precisaremos lidar”, explica Seltzer. Isto é, se as reações do cônjuge parecem confusas, as explicações para elas certamente estão na sua história.

· · ·

Se você está curtindo este texto, é provável que também se interesse por:Psicóloga aponta 3 erros comuns que podem estar sabotando seus relacionamentos amorosos

· · ·

Acreditar saber o que o parceiro necessita

Com o passar do tempo, as pessoas em um relacionamento tendem a acreditar que já conhecem todos os desejos e necessidades do parceiro. “Isso quer dizer que é provável que eles, assim como nós, não falem muito sobre si por medo de serem desaprovados”, acrescenta o especialista. Um erro comum de ambas as partes. É melhor manter a curiosidade sobre as necessidades do outro.

Esperar reações do parceiro idênticas às suas

“A menos que sejamos profissionais de saúde mental experientes ou inusitadamente intuitivos, estamos mais ou menos condenados a interpretar o comportamento das outras pessoas — e, especialmente, do nosso parceiro — com base em nossa própria psiquê”, esclarece Leon Seltzer. Essa tendência dominante ignora o fato de que não existem duas mentes idênticas.

· · ·

Aviso

Este texto não fornece soluções para problemas médicos e/ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de iniciar qualquer tratamento.

· · ·

Siga e compartilhe

Siga a NOVA MULHER nas redes sociais para ter acesso a conteúdos exclusivos: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Aproveite e compartilhe os nossos textos. O seu apoio ajuda a manter este site totalmente gratuito.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM