logo
Saúde e Bem-estar 10/06/2021

Estudo revela 3 hábitos que você deve seguir para emagrecer sem morrer de fome

Se você já tentou emagrecer, sabe que não é uma tarefa fácil. E, se você faz dieta, sabe como é difícil manter um menu restringido por muito tempo

Por : Redação

Se você já tentou emagrecer, sabe que não é uma tarefa fácil. E, se você faz dieta, sabe como é difícil manter um menu restringido por muito tempo. É por isso que especialistas recomendam mudar hábitos.

Fala-se em comer devagar e ter horários definidos para as refeições, por exemplo. Agora, um estudo (em inglês) da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos, complementa as técnicas que podem ajudar a perder alguns quilos.

Os pesquisadores observaram um grupo de 44 adultos, com idades entre 18 e 68 anos, que comeu porções de macarrão por semanas. Com o passar dos almoços, as porções aumentaram: de 400 para 700 gramas em cada prato.


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela mais recente publicação da NOVA MULHER:


Os resultados

Após registrar cada almoço, com calma e contando quantas vezes colocaram a colher na boca, os cientistas determinaram que os participantes comiam mais quando comiam rápido, davam mordidas muito grandes e quando ficavam mais tempo à mesa.

Paige Cunningham, autora do estudo, explicou que “quando comemos muito rápido, obviamente a comida passa menos tempo na boca. E, quando damos mordidas muito grandes, a comida passa menos tempo na boca. Portanto, os sinais que nos dizem para parar de comer demoram mais para aparecer”.

O segredo

De acordo com o estudo, existem três fatores principais:

  • o tamanho da porção no prato;
  • a velocidade da refeição (comer devagar); e
  • a quantidade de comida no garfo.

Paige acrescentou que, para manter ou perder um peso de maneira saudável, outra opção é considerar as calorias dos alimentos: “uma vez que as pessoas comem mais quando mais é servido, o excesso de ingestão de calorias em grandes porções pode ser reduzido escolhendo alimentos que tenham menos calorias por porção”.


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar um tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de jornalistas e redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: