Estilo de Vida

Quantas vezes você beija seu parceiro (a)? A resposta pode ser um indicador sobre sua vida sexual, segundo estudo

Um estudo constatou que frequência do beijo entre o casal pode ser um indicado importante sobre a vida sexual; entenda!

vida sexual

Um estudo desenvolvido na Brigham Young University, e publicado na revista Sexual and Relationship Therapy, constatou que a frequencia do beijo pode ser um indicador importante sobre a satisfação da vida sexual de um relacionamento.

“Mesmo que o beijo romântico (ou seja, beijar um parceiro nos lábios com um propósito romântico) não seja visto em todas as culturas, ele está em toda parte na cultura ocidental. Filmes, programas de TV, livros e muito mais parecem focados naquele momento mágico em que duas pessoas finalmente se beijam. Eu queria ver o quão importante esse comportamento aparentemente pequeno e comum era para os relacionamentos românticos. Em outras palavras, eu queria saber se o beijo romântico era importante ou não”, explica Veronica Hanna-Walker, uma das autoras do estudo.

+ SOBRE SEXO

  1. 5 perguntas sobre sexualidade que muitos de nós fazemos e temos vergonha de perguntar
  2. Truques preliminares que os especialistas em sexo recomendam para promover excitação
  3. Este é o “segredo” para melhorar o sexo, segundo estudo

Para identificar a importância do beijo, os pesquisadores entrevistaram 1.605 participantes que estavam em relacionamentos sólidos há pelo menos dois anos.

O que eles identificaram foi que os participantes que afirmaram beijar seus parceiros com mais frequências tinham mais elevados de excitação e satisfação sexual.

Além disso, eles concluíram que o beijo foi positivamente associado a experimentar um orgasmo.

“Beijar pode ser uma ferramenta útil para ajudar a fortalecer os aspectos emocionais e sexuais dos relacionamentos. Beijar mais seu parceiro pode aumentar a excitação sexual, a probabilidade de ter orgasmo durante o sexo e aumentar a sensação de apego seguro entre os parceiros. Beijar é uma pequena parte dos relacionamentos românticos, mas é importante não esquecer”, disse Hanna-Walker ao PsyPost.

LEIA TAMBÉM

Apoie
Compartilhe os nossos textos com os seus amigos. O seu apoio ajuda a manter a NOVA MULHER como um site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o nosso trabalho.

Siga-nos
Gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para ter acesso a mais novidades: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Nós também participamos do Google Notícias:

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM