logo
/ Crédito: Pexels
Estilo de Vida 25/03/2021

Casais que sofrem aborto espontâneo terão licença-remunerada na Nova Zelândia

Nova Zelândia é um dos primeiros países a oferecer licença-remunerada para pais que sofreram com aborto espontâneo

Na última quarta-feira (24), a Nova Zelândia aprovou uma lei que oferecerá três dias de licença-remunerada para casais que sofreram com aborto espontâneo ou para aqueles que tiveram bebê natimorto, quando o bebê morreu dentro do útero ou nasceu morto.

+ MATERNIDADE

O benefício será oferecido independente da idade gestacional “Achei que isso daria às mulheres a confiança de poderem solicitar essa licença, se necessário, em vez de apenas ser estóica e seguir em frente, quando sabiam que precisavam de tempo, física ou psicologicamente, para superar o dor”, disse Ginny Andersen, a parlamentar que desenvolveu o projeto de lei.

Vale ainda lembrar que no Brasil mulheres que tiveram aborto espontâneo tem direito a duas semanas de repouso, segundo o artigo 395 da CLT. Além disso, mulheres que tiveram de bebê natimorto antes da 23ª semana da gestação podem receber 120 dias de afastamento e licença-maternidade integral.

LEIA TAMBÉM