Famosos

Irá para a prisão? JK Rowling publica mensagens ‘transfóbicas’, defendendo mulheres biológicas e desafiando a polícia

JK Rowling, autora de Harry Potter, continua a publicar mensagens transfóbicas após a nova lei anti-ódio na Escócia, em defesa das mulheres biológicas

JK Rowling

Há alguns anos, J.K. Rowling, autora da famosa série de livros Harry Potter, tem estado envolvida em polêmica devido a uma série de comentários considerados transfóbicos. Através das redes sociais e ensaios, Rowling expressou em várias ocasiões pontos de vista controversos sobre a identidade de gênero e os direitos das pessoas transgênero, bem como reiterou sua luta a favor das “mulheres biológicas”.

Isso gerou críticas por parte da comunidade LGBTQ+ e de inúmeros seguidores de seus livros, abrindo um debate sobre a liberdade de expressão, os direitos das pessoas transgênero e o papel das figuras públicas em promover a inclusão e o respeito a todas as identidades de gênero.

Agora, a autora voltou a estar no centro das atenções ao desafiar a polícia a prendê-la, enquanto critica as novas leis sobre crimes de ódio que entraram em vigor na Escócia.

Recomendados

JK Rowling volta a publicar mensagens polêmicas e desafia a polícia

A autora da série Harry Potter começou a ser criticada no início de junho de 2020 por tweets controversos que publicou sobre a comunidade transgênero. Sua posição levou até mesmo parte do elenco da saga de filmes, como Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint e Eddie Redmayne, a expressarem suas opiniões a respeito.

No dia 6 de junho de 2020, Rowling retuitou um artigo de opinião que falava de "pessoas que menstruam", aparentemente discordando do fato de que a história não usava a palavra "mulheres".

"Pessoas que menstruam'. Tenho certeza de que costumava haver uma palavra para essas pessoas. Alguém me ajuda. ¿Wumben? ¿Debiluchas? ¿Woomud?", escreveu.

Isso gerou uma forte reação nas redes sociais, pois muitos o perceberam como uma falta de inclusão e sensibilidade em relação às pessoas trans por parte da autora, enquanto outros a apoiaram por defender o que consideravam uma distinção biológica entre homens e mulheres.

JK Rowling

Os comentários de J.K. Rowling sobre pessoas trans e sua defesa das mulheres biológicas têm sido extremamente controversos, em primeiro lugar, por virem de uma autora tão influente e querida por milhões de pessoas em todo o mundo, especialmente porque sua própria obra defende um mundo onde todos somos diferentes.

Agora, Rowling publicou uma série de tweets desafiando a nova lei de crimes de ódio da Escócia, que torna crime fazer comentários depreciativos com base em deficiência, religião, orientação sexual, identidade transgênero ou ser intersexo.

As novas medidas têm como objetivo abordar os danos causados pelo ódio e preconceito, no entanto, a autora continua defendendo sua posição "em favor dos direitos das mulheres biológicas".

"Então, se homens identificados como trans forem bonitos o suficiente (segundo sua opinião, um homem), as mulheres deveriam concordar que são mulheres?" - JK Rowling.

"Espero que este anúncio tranquilize todas as mulheres da Escócia que desejam defender a realidade e a importância do sexo biológico, e confio que todas as mulheres, independentemente de seu perfil ou recursos econômicos, recebam o mesmo tratamento perante a lei" - JK Rowling.

Com suas publicações, Rowling disse que a legislação poderia sufocar a liberdade de expressão e não estende essas proteções às mulheres biológicas.

No entanto, houve uma divisão de opiniões, pois enquanto alguns a criticam por continuar "espalhando ódio", outros a aplaudem por atacar a agressora dupla Isla Bryson, que foi condenada a oito anos de prisão no ano passado por agredir sexualmente duas mulheres em 2016 e 2019, quando vivia como homem sob o nome de Adam Graham.

As consequências que JK Rowling poderia enfrentar

"Espero que todas as mulheres na Escócia que desejam defender a realidade e a importância do sexo biológico se sintam tranquilas com este anúncio, e confio que todas as mulheres - independentemente de seu perfil ou situação financeira - serão tratadas igualmente perante a lei", publicou Rowling em X.

De acordo com a Polícia da Escócia, os comentários feitos pela autora não serão considerados “criminosos”, portanto, ela não poderia ser acusada de “crime de ódio” e ir para a prisão.

Tags

Últimas Notícias


LEIA TAMBÉM