logo
filmes sobre a Ditadura no Brasil dirigidos por mulheres / Divulgação/Elói Corrêa/GOVBA
Entretenimento 31/03/2021

“Um povo sem memória repete sua história”: 5 filmes sobre a ditadura no Brasil dirigidos por mulheres

Aqui você encontrará alguns filmes sobre a ditadura no Brasil dirigidos por mulheres para entender a época de chumbo em nosso país!

É provável que durante estes dias, com a reforma ministerial do Bolsonaro e as saídas dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, você tenha visto em suas redes sociais muitas pessoas falaram sobre a ditadura de 64, e algumas sobre a “Revolução de 64”.

Saiba que se ainda não tem uma opinião sobre tudo o que está acontecendo, alguns filmes sobre a ditadura no Brasil dirigidos por mulheres podem ajudar a entender mais sobre nossa história.

A Nova Mulher selecionou alguns deles, pois como já disse a historiadora Emília Viotti da Costa:

“Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado”.

1. Marighellla

O filme é uma adaptação do livro “Marighella – O Guerrilheiro Que Incendiou o Mundo”, escrito por Mário Magalhães, e conta a história de um líder comunista, parlamento e preso político que foi considerado o principal inimigo da ditadura brasileira, inclusive sendo assassinado pelo regime.

2. Que bom te ver viva

Este documentário produzido em 1989 conta a histórias de brasileiras que lutaram contra a ditadura militar. Ele apresenta memórias e narrativas que mostram o que aconteceu durante a época de chumbo.

3. Uma longa viagem

A ex-militante Lúcia Murat dirige este filme que conta a história de seu irmão. Ela lutou contra o regime Heitor, seu irmão, foi enviado para Londres com o objetivo de não entrar para a luta armada. Este documentário ganhou como melhor filme em 2011 no Festival de Gramado.

4. Hoje

Dirigido por Tata Amaral, este filme é baseado na obra “Prova Contrária”, de Fernando Bonassi.

Ele conta a história de uma mulher que recebe indenização do governo pela morte de seu marido durante o regime militar. Ela compra um apartamento, mas não consegue superar seu marido e as torturas e sofrimento que passou na época.

5. Repare bem

O documentário aborda a história de Denise Crispim, filha de militantes. Toda sua família foi perseguida.

Ela foi testemunha do assassinato de seu irmão, a prisão de sua mãe e a tortura e morte de seu namorado que foi considerado o preso que permaneceu por mais tempo em regime de tortura ininterrupta (109 dias seguidos).