logo
/ Unsplash
Saúde e Bem-estar 29/04/2021

Sono reparador e intestino saudável: saiba mais sobre a relação entre eles

Pesquisas mostram que quanto melhor for a saúde intestinal, melhor será o descanso noturno

Por : Redação

O sono e a saúde intestinal andam de mãos dadas. Na verdade, pesquisas mostram que quanto melhor for a saúde intestinal, melhor será o descanso noturno.

De acordo com o Daily Mail, isso ocorre porque o intestino é o maior órgão endócrino do nosso corpo e abriga um segundo sistema nervoso, constantemente conectado ao cérebro e ao resto do sistema nervoso central.

A função dessa parte do corpo não está ligada apenas à digestão dos alimentos, mas também influencia o humor, a produção hormonal, a capacidade imunológica, entre outras coisas.


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela nossa publicação mais recente:


Bom sono e um intestino saudável

O intestino é circundado por 70% das células que compõem o sistema imunológico, e a flora intestinal interage com todas elas para beneficiar a resposta imunológica.

Por isso, a saúde intestinal deve ser garantida, pois se houver um microbioma afetado por uma alimentação inadequada, terá impacto nos processos inflamatórios do corpo, gases retidos, prisão de ventre, ansiedade, depressão, doenças da pele e descanso noturno.

Cuidados para um boa noite de sono

Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, revela que uma dieta rica em carboidratos refinados, principalmente açúcares adicionados, está associada a um maior risco de insônia, sobretudo em mulheres com 50 anos ou mais.

Os especialistas também recomendam:

  • Minimizar a ingestão de álcool.
  • Consumir café até às 13h (efeito de no mínimo 7 horas).
  • Incluir na dieta alimentos ricos em fibras prebióticas, como rabanete, alho-poró, brócolis, lentilha e grão de bico.
  • Evite gorduras saturadas e refeições congeladas.
  • Fazer exercício.
  • Emagrecer.

⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: