logo
/ Divulgação - Pinterest
Saúde e Bem-estar 01/05/2021

Quanto tempo você dedica para dormir? Veja a recomendação dos especialistas

Dormir é sinônimo de bem-estar. Portanto, dormir o suficiente é recomendado para manter uma boa saúde e evitar doenças

Por : Redação

De acordo com o jornal El Universo, a população adulta saudável deve atingir uma média de 7 a 9 horas de sono por noite. Os dados são da Fundação Nacional do Sono dos Estados Unidos.

Tenha uma boa noite de sono de acordo com a idade

Ao contrário da crença popular, o idoso não deve reduzir o tempo de descanso. Estima-se que os idosos dormem pouco menos de 7 a 8 horas, que é a média do que deveriam usar durante o sono.

De acordo com grupos organizados pela fundação sobre a necessidade de horas de sono, o adulto entre 26 e 64 anos deve dormir entre 7 e 9 horas. Adolescentes entre 14 e 17 anos, de 8 a 10 horas; e os em idade escolar (de 6 a 13 anos), de 9 a 11 horas, à medida que vão crescendo.

Essas recomendações também são endossadas pela American Academy of Sleep Medicine e pela Society for Sleep Research. Esta organização alerta que não dormir o suficiente afeta significativamente a saúde.


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela mais recente publicação da NOVA MULHER:


Perigos de não dormir bem

Entre os problemas associados a dormir menos de sete horas estão: obesidade , diabetes, hipertensão, doenças cardíacas e cerebrovasculares, depressão e morte precoce. Distúrbios da função imunológica, dor, riscos de acidentes e baixo desempenho também estão incluídos na lista.

Mario Valderrama, especialista em sono da Universidade de Los Andes, na Colômbia, disse que dormir ajuda o corpo a regular as atividades fisiológicas, evitando que fique saturado.

“Se esse processo não for realizado, a longo prazo podem ocorrer distúrbios cognitivos na pessoa que não dorme ou não dorme bem”, disse o especialista.


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar um tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de jornalistas e redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: