logo
Saúde e Bem-estar 22/04/2021

Emagrecer muito rápido tem suas consequências; descubra quais são

Emagrecer rápido é um processo que vai além de colocar em prática estratégias para se livrar dos quilinhos extras

Por : Redação

Emagrecer rápido é um processo que vai além de colocar em prática estratégias para se livrar dos quilinhos extras.

Tanto que, para a nutricionista Laura Arranz, a perda de peso acelerada não é adequada — especialmente se você deseja que ela continue acontecendo ao longo do tempo.

A especialista explicou ao jornal El Español que, por natureza, o corpo resiste ao emagrecimento, já que ele ameaçaria a sobrevivência em tempos de escassez alimentar.

Saiba mais sobre o tema a seguir:


Leia também

Se você está gostando deste conteúdo, é provável que também se interesse pela nossa publicação mais recente:


O engano de emagrecer rápido

Um relatório (em espanhol) da empresa estadunidense Kaiser Permanente intitulado “Dietas da Moda” afirma que a maioria dos planos que promete emagrecimento rápido não vale a pena.

Afinal de contas, o peso é recuperado — e até aumentado —, já que são impostos hábitos alimentares que não se sustentam por muito tempo.

Os problemas da perda de peso acelerada

Já um relatório (em espanhol) do Instituto Sanitas, as dietas rápidas funcionam inicialmente para emagrecer, mas com o risco de perda de fluidos e massa muscular — mas pouca gordura, que é o que interessa.

Ele também alerta sobre dietas perigosas, com pouca proteína, que podem causar arritmias difíceis de tratar.

Enquanto isso, as dietas rápidas ricas em proteínas, mas pobres em carboidratos, podem levar à fadiga, tontura, desidratação, perda óssea e problemas renais.


⚠️ Atenção: este texto é de caráter meramente informativo e não tem a intenção de fornecer diagnósticos nem soluções para problemas médicos ou psicológicos. Em caso de dúvida, consulte um especialista antes de começar qualquer tipo de tratamento.


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias:


Leia também


Apoie

Compartilhe os textos da NOVA MULHER com os seus amigos através das redes sociais e dos aplicativos de mensagem. O seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores.


Siga-nos

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook. Além disso, fazemos parte do Google Notícias: