Como fortalecer o sistema imunológico em tempos de pandemia

Unsplash

O sistema imunológico é a defesa natural do corpo contra infecções e agentes externos. É por isso que seu papel é de grande importância durante a temporada de pandemia. Para aprender a fortalecê-lo e melhorar nossa saúde, o portal Nueva Mujer conversou com Mauricio Sánchez, diretor geral da clínica de bem-estar Instituto Hábitos.

 

Como fortalecer o sistema imunológico

Sánchez afirma que existem ações que podem ser tomadas todos os dias, para ajudar nosso sistema imunológico a funcionar adequadamente para que possamos preservar nossa saúde.

 

Alimentação

Um aspecto importante é prestar atenção aos hábitos alimentares, pois dessa forma você pode melhorar o estado do corpo e garantir seu ótimo funcionamento.

O primeiro passo é parar de comer alimentos processados e açúcar refinado, que é encontrado em bebidas açucaradas, e até mesmo se esconder em produtos chamados de baixa gordura.

Para evitá-los, Maurício Sánchez recomenda a leitura dos rótulos dos produtos que são comprados.

Alimentos processados são aqueles que podem passar muito tempo em uma prateleira, contêm produtos químicos, corantes, conservantes, aromatizantes e adoçantes — elementos que nosso corpo não foi projetado para processar.

Consumi-los causa inflamação crônica no corpo, o que, por sua vez, causa um estado de acidose, o que diminui a resposta do sistema imunológico.

Por outro lado, os alimentos que mais devem ser consumidos são produtos naturais: frutas, legumes e proteínas animais, além de água.

 

Atividades físicas

Acompanhado de uma dieta equilibrada, o exercício deve ser realizado de forma constante. Sánchez recomenda não passar longos períodos sentados, além de respeitar os tempos de descascamento para permitir que o corpo se recupere.

 

Saúde mental

Lembre-se, também, de realizar atividades de relaxamento que previnem o estresse crônico, como exercícios de meditação e respiração.

A manutenção da saúde mental é igualmente importante, pois o estresse gera a produção de cortisol, o que, por sua vez, causa problemas como gastrite, dificuldade para dormir, fadiga e fome.